domingo, 31 de maio de 2009

V Festival Internacional de Banda Desenhada de Beja


E então, na boa companhia do Verbal , lá fui para Beja! E que calor… xiça! Fora o pequeno percalço de nos termos perdido um pouco na planície Alentejana, a viagem teria sido perfeita, mas tivemos a sorte de haver um brasileiro para nos dar as informações detalhadas que necessitávamos, sim porque com as explicações “alentejanas” ainda hoje andaríamos a circular nas estradas lá…
Chegamos e fomos relaxar no restaurante “A Caravela”, com um excelente atendimento, antes de irmos para a Casa da Cultura de Beja. As indicações dentro da cidade foram precisas, estava tudo muito bem indicado, não havendo mais atribulações…
Mais uma vez os livros à venda não eram muitos, parecendo-me que a loja especializada Asa Negra era a que tinha uma variedade de livros mais abrangente. Nos stands mais dedicados à BD europeia, a escolha era difícil pela escassez de títulos… Acabei por comprar aí um único livro: “A Fórmula da Felicidade” (made in Portugal).
Dentro da Casa da Cultura estava patente o principal centro de exposições, e como no ano passado, estava tudo muito bem dividido e estruturado. Fiquei-me por aqui, visto que estava muito calor lá fora, e as sessões com os autores começavam à hora da abertura de outros pólos do festival. Assim sendo, a Casa da Cultura foi o único local visitado por mim, pelo Verbal , e pelo
Refém, que se juntou a nós durante os passeios pelas várias exposições. Durante o passeio ainda deu para cumprimentar o pessoal dos Murmúrios, agora com o projecto Voyager, e ainda o
DC acompanhado pelo
Celtic!
Gostei especialmente da exposição de Gary Erskine, Craig Thompson e João Maio Pinto.
Infelizmente algumas fotos não ficaram minimamente aceitáveis para serem colocadas aqui no blog, mas fotografar em condições com luz de cima, um vidro à frente e sem flash, é complicado :S (precisaria de um tripé…)
De qualquer maneira ficam aqui muitas fotos que darão para quem não foi “visitar” a casa da Cultura de Beja.
Em jeito de conclusão, mais uma vez gostei do festival, mas (e mais uma vez) a predominância foi quase total da chamada BD “alternativa”, e é de notar que também existe mais BD sem ser do género alternativo, essa quase ausência da BD chamada de “comercial” do festival, amputa este da maior parte e a da mais chamativa “corrente” da BD.
Já agora, e como informação, os VII Troféus Central Comics vão ser atribuídos neste festival no dia 13 (penúltimo dia), na bedeteca (Casa da Cultura) .








Da direita para esquerda: Hugo Teixeira, Fernando Gonsales, Richard Câmara e Craig Thompson.


Para a semana, mais umas fotos!
Deixa o teu comentário

quinta-feira, 28 de maio de 2009

Rafeiro Perfumado: Are you ladrating to me?!?


No mundo dos blogs portugueses por vezes encontramos algumas pérolas, e mais importante que isso, encontramos também amigos. Neste caso encontrei os dois juntos, a pérola e o amigo. Decerto que quem costuma ler os comentários deste blog, já deve ter reparado nas breves e fugazes aparições deste amigo. De seu nome "Canis Rafeirus Perfumatum", mais conhecido por Rafeiro Perfumado (diz ele...!), resolveu que ia ser um escritor rafeiro... É garantido a quem obtenha o seu livro, alguns momentos de boa disposição com o seu humor , por vezes mordaz, outras simplesmente e completamente "non sense". Este lançamento da Bizâncio premeia a qualidade dos muitos textos existentes no seu blog, e mais importante, muitos textos inéditos. Fica aqui o convite rafeiro, escrito pelas suas próprias patas:

Como a menor parte de vocês talvez saiba, tenho um blogue, http://rafeiroperfumado.blogspot.com/, onde semanalmente (ou com outra periodicidade que me apeteça) vou colocando textos sobre os mais variados assuntos, desde o ostracismo a que as emissões aerofágicas são votadas pela sociedade até à problemática associada às conversas efectuadas nos urinóis, passando mesmo pela dificuldade que é satisfazer uma mulher (sem segundos ou terceiros sentidos). São pois assuntos do mais elevado interesse, isso se quiserem ter uma hipótese real de sobrevivência nesta sociedade cada vez mais desumanizada e trituradora.
Como me preocupo com o vosso bem-estar, resolvi procurar uma parceria que me permitisse compilar esta enciclopédia de vida numa única fonte. Convencida a Editorial Bizâncio, coloquei então patas e mãos à obra, conseguindo reunir num livro não só os 61 melhores textos que foram sendo publicados no blogue como igualmente 20 textos originais, os quais nem no mercado negro conseguirão encontrar.
É pois com enorme prazer, e mesmo uma pontinha de orgulho, que vos convido a estarem presentes na apresentação do livro "Are you ladrating to me?!?", a realizar nos dias


- 31 de Maio – Lisboa - Bertrand - Av. de Roma - 16H:07M
- 6 de Junho – Porto -
Bertrand - Norte Shopping - 16H:06M
- 7 de Junho - Coimbra -
Bertrand - Dolce Vita - 16H:08M
- 13 de Junho - Faro -
Bertrand - Forum Algarve - 16H:04M

Caso pretendam estar presentes nas quatro apresentações, posso desde já garantir que passarão a ocupar um lugar especial na minha galeria de heróis, ali mesmo entre o Pepe Legal e o Buck Rogers, além de vos pagar, com prazer, um café ou uma água sem gás (promoção não acumulável com outras que estejam em vigor).
Espero sinceramente contar com a vossa presença, de preferência acompanhados de todos os amigos e familiares que consigam arrastar, aos quais certamente irão dar o prazer de serem abrangidos por este convite.
Beijos e abraços, repartidos consoante o cromossoma dominante (não vale fazer batota),
Jorge Pereira (dono do Rafeiro Perfumado)


Desejo ao Rafeiro grande sucesso com este seu segundo livro, e até sábado no V Festival Internacional de Banda Desenhada de Beja!
Deixa o teu comentário

quarta-feira, 27 de maio de 2009

Capas: O Regulador Vol.2 - Hestia


Como o post sobre a série o "O Regulador" é dos mais antigos deste blog (Julho de 2007), e a pedido de alguns leitores (LoL), vou deixar o link, para ser mais fácil a consulta do referido post.
Basta clicar aqui: "O Regulador".

Boas leituras!
Deixa o teu comentário

terça-feira, 26 de maio de 2009

Lançamento ASA / Público: Jardim Zoológico 125 Anos


Vai sair no dia 28, quinta-feira, mais um livro da parceria ASA/Público: Jardim Zoológico 125 Anos!
É neste dia, em que o Jardim Zoológico de Lisboa faz 125 anos, que sai este livro de José Garcês, um livro sobre animais em vias de extinção e sobre a importância que os Jardins Zoológicos assumem na conservação, reprodução e manutenção das espécies em vias de extinção.
O álbum tem 64 páginas e conta a história de 5 animais em vias de extinção. José Garcês já tinha editado um livro sobre esta temática: "História do Jardim Zoológico em BD".
O livro conta com um texto introdutório de Maria José, a responsável editorial da secção de BD da ASA, e inclui um vale para um bilhete para criança grátis!
Fica a sinopse enviada pela ASA:

Jardim Zoológico – 125 anos
Espécies em vias de extinção

No ano em que se comemoram os 125 anos de vida do Jardim Zoológico, este álbum de BD, da autoria de José Garcês, dá-nos a conhecer esta reputada instituição, as transformações que sofreu ao longo dos anos e, muito especialmente, a importância que assume actualmente na preservação, conservação e reprodução de vários animais em vias de extinção.
Para além da introdução onde se aborda em linhas gerais a História do Jardim Zoológico, o álbum está dividido em contos referentes a 5 animais que se consideram estar em vias de extinção: o Gorila-Ocidental-das-Terras-Baixas; o Gorila-da-Montanha; o Jaguar; o Tigre-de-Samatra e o Tigre-da-Sibéria.
Através destas ilustrações, adaptadas de factos reais, conseguimos ter a percepção das dificuldades que estes animais enfrentam no seu habitat natural - em especial devido à caça ilegal de que são vítimas -, bem como do contributo que, actualmente, os Jardins Zoológicos estão a dar para a preservação da biodiversidade do planeta.


Muita BD saiu nestes meses de Abril/Maio! Credo, estou abismado :D
(Para contrabalançar o primeiro trimestre do ano, em que não saiu quase nada...)
Boas leituras!
Deixa o teu comentário

domingo, 24 de maio de 2009

Universal War One Vol.5: A Torre de Babel


Não é segredo para quem me conhece, que esta é a minha série preferida desde que comprei os três primeiros números de uma assentada, Universal War One ( UW1 ). Não tenho memória de uma estória sci-fi tão bem construída, com uma arte de tirar o fólego a acompanhar. A série chama-se Universal War One, e saiu da imaginação de Denis Bajram. No verão passado saiu "Universal War One Vol.4: O Dilúvio", que acabou com os leitores a torcerem-se por mais, agora, n`"A Torre de Babel" o final é bem pior... o leitor não se torce... retorce-se pelo próximo e último volume: O Patriarca!
Esta série está tão bem estruturada ao nível das ideias e criação de expectativa, que o leitor quase que fica com uma sensação de angústia por ter de esperar por mais um livro. E até parece mentira... como é que se consegue "enfiar" uma estória destas em apenas seis volumes? Bajram é grande! E a velocidade da estória também... ainda me lembro que tive de repetir logo de seguida a leitura dos três primeiros livros, para a sedimentação da quantidade de informação que estes três volumes contêm. Já editados:
- Génesis
- O Fruto do Conhecimento
- Caim e Abel
- O Dilúvio
- A Torre de Babel
Espero que "O Patriarca" saia lá para o fim do ano! Era justo para os fãs da série :)
O grupo de quatro elementos sobreviventes da esquadrilha Purgatory (Kate, Kalish, "Mário" e Williamson) foi "cuspido" para fora da nossa galáxia, ao tentar evitar o "disparo" da arma secreta das "Companhias Industriais de Colonização", CIC. Eles ficam numa situação muito dificil... um Space Shutlle muito velho quase sem água, comida e oxigénio! Mas têm no seu interior um génio: Kalish!
Mas a angústia destes heróis misturava-se da incerteza de morrerem no espaço com a incerteza de que o seu acto teria evitado ou não a destruição da Terra.
Kalish consegue a viagem espacio-temporal de retorno, mas com um problema... chegam com um avanço de trinta anos à estação orbital Alfa! A Terra estava destruída, as CIC no poder, o Liberalismo mudou para uma lógica de totalitarismo e para compor o "ramalhete", Milorad e Amina são os comandantes de uma estação orbital estruturada com base na ideologia Nazi! E já contei demais, mas garanto que tem muito mais do que aquilo que eu contei, aliás, o final é espectacular!
Boas leituras.

Hardcover
Criado por Denis Bajram
Editado em 2009 por Vitamina BD
Comprado no stand BD Mania da Feira do Livro de Lisboa
Nota : 11 em 10
Deixa o teu comentário

sexta-feira, 22 de maio de 2009

Clássicos Tintim: Capas Vol.3 e Vol.4


Como indicado em Lançamento ASA / Público: Clássicos Tintim , coloco aqui as capas dos volumes 3 e 4 !
Assim temos o nº3, Jonathan, com:
- O sabor do Songrong
- Ela ou Dez Mil Pirilampos

(Inéditos)



No volume nº4 será a vez de Michel Vailant:
- O 8.º Piloto
- Suspense em Indianápolis

(Inéditos)

A capa do nº2 (Clorofila) já está inserida no fim do post Lançamento ASA / Público: Clássicos Tintim . Sai na próxima 4ª Feira.
Boas leituras
Deixa o teu comentário

quarta-feira, 20 de maio de 2009

Infinite Crisis


E pronto! Mais uma das fases da DC finalizada, com uma Crise, claro :)
Desta vez o escritor de serviço é o peso pesado Geoff Johns ( Green Lantern) e como artistas temos os não menos pesados Phil Jimenez, George Pérez (Crisis on Infinite Earths ) e Ivan Reis. Gostei bastante deste epílogo, que faz a ponte para outras sagas de sucesso, como por exemplo todo o arco do Green Lantern (Green Lantern: The Sinestro Corps War Vol. 1 e Green Lantern: The Sinestro Corps War Vol. 2), que vai culminar com o muito esperado Blackest Night.
Infinite Crisis leva ao extremo a desagregação da JLA, e sobretudo da perda de noção do que é ser um herói. Tanto Batman como Superman e Wonder Woman falham nos seus deveres como líderes e exemplos para a população e para os outros heróis, aliás, são estes (o novo Blue Beetle, Booster Gold, Night Wing, Wonder Girl, Kid Flash, etc), que fazem a grande barreira contra os planos de um novo Lex Luther.
Superboy Prime, Alexander Luthor Jr. da Terra 3, Superman da Terra 2 (Kal-L) e Lois Lane dessa mesma Terra 2, conseguíram sobreviver após o mega evento Crisis on Infinite Earths numa fenda espacial a que eles chamaram o paraíso. Daqui observaram tudo o que de mau se passava na Terra 1, pela qual eles se tinham sacrificado... e Kal-L decide intervir, possuído pelo desgosto de ver uma Lois Lane às portas da morte. Decide que os heróis que tinham sobrevivido à última crise não eram merecedores da única Terra existente neste momento.
É muito complicado falar deste livro sem começar a disparar spoilers, pois como a preparação para esta Crise foi longa e bem trabalhada, tudo se desvenda neste livro. Os verdadeiros vilões são desmascarados, alguns que pensavam que eram heróis são apenas loucos instáveis e outros foram bem enganados, por estarem emocionalmente desequilibrados. O leitor tem grandes e emocionantes batalhas, mortes trágicas e importantes, e no fim a ponte para a muito aclamada série de Geoff Johns: 52. São as 52 semanas em que os três pilares do universo DC, Batman, Superman e Wonder Woman, abandonam a Terra para voltar às suas raízes.
A estória está muito bem construída, e a arte muito, muito boa! Com Pérez no assunto, outra coisa não podia ser!
Boas leituras.

Hardcover
Criado por: Geoff Johns, Phil Jimenez, Jerry Ordway, George Pérez, Ivan Reis , Andy Lanning, Jeremy Cox e Guy Major
Editado em dezembro de 2006 pela DC Comics
Comprado na Abookarama
Nota : 9 em 10
Deixa o teu comentário

domingo, 17 de maio de 2009

The Arrival / Là où vont nos pères


“The Arrival” é um livro que fala de um problema actual: a emigração/imigração. É um tributo silencioso a todos aqueles que por uma razão ou outra tiveram de abandonar a sua pátria e família para tentar a felicidade noutro lugar.
Shaun Tan nasceu australiano, e dedica este livro aos seus pais, que provavelmente fizeram a viagem à procura de um país melhor. Este livro não tem mensagem escrita, mas como irão reparar todos aqueles que já o "leram", não é necessária. A expressividade das ilustrações de Tan é tão grande, que nós conseguimos "ler" perfeitamente no seu lápis de carvão, tudo aquilo que ele quer transmitir. Não há desculpa de não saber ler francês ou inglês, basta ser sensível!
Tan vai alternando várias pequenas vinhetas, tipo pequenas molduras com fotografias antigas, que contam a estória com precisão, e de repente temos “splash pages” de uma beleza impressionante, que nos fazem parar por ali para contemplar mais atentamente toda a beleza e expressão da ilustração! Logo a seguir mais uma série de pequenos quadradinhos, para mais um avanço na estória. Tudo isto em maravilhosos tons monocromáticos que variam entre gradações de cinza, até ao sépia… dando um ar antigo ao registo. Por falar em ar antigo, a capa é extraordinária! Tem mesmo um ar antigo, lindo, velho e ao mesmo tempo completamente inverosímil, devido ao pequeno animal que está junto ao protagonista!
O registo começa em família, onde o homem decide abandonar o país onde o medo imperava, na forma de dragões serpente. Viaja para bem longe, para a “terra prometida” (dando a entender por muitos pormenores que seria Nova Iorque), onde poderia mais tarde reunir a família que tinha ficado para trás. Mal é chegado deparam-se as primeiras barreiras, tipo documentação, exames de saúde… e depois disto vêm os restantes problemas normais dos emigrantes: língua diferente, hábitos novos, comida, procura de trabalho.
Enfim, tudo aqui é apresentado muito positivamente chegando a ser utópico. Talvez porque os seus pais tenham passado por um bom acolhimento na Austrália!
No fundo Shaun Tan fez um trabalho primoroso, e impregnado de vários sentimentos, daí a sua enorme expressividade. Posso dar o exemplo da Diabba , que pegou no livro e começou a folheá-lo a grande velocidade, e de repente começou a abrandar essa velocidade para se demorar na visualização de cada prancha para “ler”! É um livro, não só para adultos, mas também para crianças. A minha filha mais pequena conseguiu perceber o que passava, com expressões tipo: “Que lindo, papá…”!
Este livro tem vindo a ser premiado um pouco por todo o lado, vou referir alguns dos mais importantes:
- The Children's Book Council of Australia Book of the Year Awards: Picture Book of the Year
- New South Wales Premier's Literary Awards, Community Relations Commission Award
- Hugo Award
- Angoulême International Comics Festival Prize for Best Comic Book
Boas leituras!

Hardcover
Criado por: Shaun Tan
Editado em 2007 pela Hodder Children`s Books
Comprado na Book Depository
Nota : 10 em 10
Deixa o teu comentário

sexta-feira, 15 de maio de 2009

Elektra: O Regresso


Uma das maiores criações de Frank Millar para o universo Marvel foi sem dúvida a personagem Elektra Natchios. Aconteceu durante a sua fase no herói DareDevil (Demolidor), em que conseguiu revitalizar este personagem, que andava um bocado "por baixo". Para isto contribuiu de maneira marcante Elektra, amante e inimiga do Demolidor. A tragédia (grega) da morte do pai de Elektra às mãos de Bullseye, lançou esta para um caminho de vingança e crime.
Frank Miller é bem conhecido pelos seus seus livros "Batman: The Dark Knight Returns" (com edição portuguesa pela Devir), "Batman: Year One"(com edição portuguesa pela Devir), "Sin City"(com edição portuguesa pela Devir), "300" e " All Star Batman & Robin, the Boy Wonder ". Passou também por outros heróis da BD norte-americana, como Spiderman, Wolverine e Vampirella. Em relação ao último filme de Miller, "Spirit"... DETESTEI! Elektra também teve direito a filme, que não foi nada de excepcional, um filme "just for fun" que dá para comer umas pipocas :)
O livro na sua edição original, Elektra Lives Again, foi editado em 1990 e reeditado em 2002. A versão portuguesa diz respeito a esta reedição, com um tamanho bem maior que o normal da Marvel e capa dura, ou seja formato europeu.
O que está para trás da estória deste livro é a formação de Elektra como assassina da organização do sub-mundo criminoso, "The Hand". Depois de ter aprendido com essa organização tudo o que podia, abandona-os. "The Hand" não gostou e contratou Bullseye para a assassinar, acabando por morrer nos braços do DareDevil. Depois disto, "The Hand" decide ressuscitar Elektra para ela os servir novamente como assassina de elite, mas esta desaparece imediatamente a seguir ao ritual.
Neste livro Elektra regressa durante os pesadelos de Matt Murdock (DareDevil), levando este quase à loucura. Ao fim ao cabo, este livro conta como Matt Murdock aprende (ou não) a lidar com a morte da sua amada, mas com todos aqueles pesadelos não é tarefa fácil... Daredevil acaba por chegar à conclusão de que Elektra está viva novamente, e de que vários acontecimentos importantes estão para acontecer, envolvendo a organização "The Hand", Elektra e Bullseye.
O desfecho deste livro fica para vocês lerem. A arte de Miller é magnífica, talvez o seu melhor trabalho, e é colorida pela sua companheira, Lynn Varley. Felizmente não está censurado, existem corpos nús, o que é de estranhar na BD norte-americana, talvez porque o livro não foi editado pela Marvel, mas sim pela pela Rutgers Univ@press. Quanto à estória, é mais um conto do herói caído que tenta redimir-se voltando para aquela linha ténue entre o mal e o bem, mas muito bem estruturada, e sobretudo deixa as imagens falar por si, ou seja, só existem os balões estritamente necessários, o resto "lê-se" nas imagens sequênciais.
Boas leituras!

Hardcover
Criado por: Frank Millar e Lynn Varley
Editado em Outubro de 2007 pela BDMania
Comprado na livraria Bulhosa
Nota : 9,5 em 10
Deixa o teu comentário

terça-feira, 12 de maio de 2009

79ª feira do Livro de Lisboa



No Sábado decidi pegar na Diabba e lá fomos à Feira do Livro. Só faltou o sabão para o banho ser completo, chovia a rodos ou cântaros, como preferirem... isto para além do facto de vários feirantes soltarem imprecações coloridas, devido ao facto de os livros estarem a sofrer com a água e com a humidade. Mas a Feira estava bem arrumadinha, e porque o tempo estava cinzento, pudemos andar à vontade!
Assim comecei pelo stand dos Pequenos Editores onde procurei a Sodilivros, porque tinha a "mira" apontada a alguns ábuns antigos da Meribérica. Azar... só tinham levado da Witloof! Então decidi fazer a minha primeira compra:
- A Filha do Professor
Segundo stand foi o da ASA. Aqui não havia novidades, mas como os livros estavam com desconto, decidi comprar alguns que estavam em "wishlist", isto para além da Diabba ter comprado o último da lista:
- Blacksad: Algures entre as Sombras
- Blacksad: Arctic Nation
- Taka Takata: O Batráquio dos Dentes de Ouro

Terceiro stand: BDMania. Neste estava ansioso por comprar o UW1, e lá estava ele... ali todo vermelhinho a dizer: compra-me, compra-me! Então neste stand foi:
- Universal War One: A Torre de Babel (Vol.5)
- O Diabo dos Sete Mares Vol.2

Demos a volta à Feira, e para terminar o percurso de BD, parei no stand da Verbo onde comprei dois livros "antigos novos", a preços muito, mas mesmo muito apelativos:
- Yoko Tsuno: A Forja de Vulcano
- Yoko Tsuno: Os Três Sóis de Vinéa

E pronto! De BD foi isto!
Quanto a livros sem "figurinhas", também compramos. E foi giro ver a Diabba toda orgulhosa das assinaturas do Luís Sepúlveda nos seus três livros, onde inclusivamente esse mesmo escritor ensaiou um sketch no livro "A História de uma Gaivota e do Gato que a Ensinou a Voar". Foi giro porque na Amadora fui chamado de "nerd" pela atrás referida Diabba ...
A Feira do Livro está aberta ao público de 30 de Abril a 17 de Maio, no parque Eduardo VII.
Boas leituras!
Deixa o teu comentário

sábado, 9 de maio de 2009

Countdown to Infinite Crisis


De uma vez por todas decidi mergulhar de cabeça nas "Crises" da DC. Eu sei que é complicado de início, mas acho que o pior já passou! Comecei pelo principio, pela primeira crise, Crisis on Infinite Earths , seguido por um livro que não gostei muito: Zero Hour: Crisis in Time. Apenas comprei este porque o vilão era o Paralax e faz parte da minha "run" do Green Lantern Hal Jordan. Falhei o Identity Crisis (porque ainda não chegou), que deveria ser lido antes deste Countdown to Infinite Crisis, visto que é a rampa de lançamento destas mini-séries, que se cruzam antes do epílogo Infinite Crisis. Em contrapartida juntei mais dois livros às quatro mini-séries deste "countdown": Superman-Sacrifice e JLA-Crisis of Conscience. A minha sugestão de leitura é a seguinte:
- Day of Vengeance
- OMAC Project
- Superman: Sacrifice
- Rann - Thannagar War
- Villains United
- JLA: Crisis of Conscience

Fica também o registo de que se deve ler antes destes o Identity Crisis, e depois destes existe um livro que não sei se será muito necessário, seria para reunir as pontas soltas destas mini-séries todas e tem o nome deste arco... chama-se Countdown to Infinite Crisis. Não o acho necessário.
Quanto à arte apresentada varia do bom ao "mais ou menos", como é normal nestes mega eventos. A estória que apresenta o prelúdio para Infinite Crisis peca por muitas pontas espalhadas, mas para quem tem os livros todos não faz confusão.
Começa por Day of Vengeance, que continua os eventos de Identity Crisis. Neste Identity Crisis, Sue Dibny mulher do Elongated Man (Homem Elástico), é assassinada e o seu corpo encontrou-se completamente mutilado e queimado. Descobre-se que o vilão Dr Light no passado a tinha violado no quartel general da JLA. Logico que foi o suspeito nº1 do crime e a Liga da Justiça resolve fazer justiça na hora... Assim "lobotomizam" o vilão e não contentes com isso modificam-lhe a personalidade. A autora, a mando dos outros heróis, foi a feiticeira Zatanna. O problema foi que Dr Light recupera a memória e respectiva personalidade, para além de se lembrar do que lhe tinham feito. Isto provoca a raiva de todos os vilões e a sua união! Jean Loring, mulher do Átomo e afinal a verdadeira assassina de Sue Dibny, é transformada numa nova versão do Eclipse, a nemesis da "Mão de Deus", o poderoso Spectre. Este encontra-se sem a sua parte humana e é facilmente convencido por Eclipse a eliminar todos os super-heróis! É a primeira grande batalha... os mágicos do mundo DC e Shazam unem-se para evitar esta enorme ameaça.
Em OMAC Project um satélite espião de Batman é roubado pela organização Checkmate, e como consequência da informação guardada aí, a identidade, família, amigos, pontos fracos e fortes de todos os heróis passam a ser conhecidos por outras pessoas, isto para além do controle mental que o Rei Negro desta organização consegue obter sobre outros. Blue Bettle foi o primeiro a desconfiar e a investigar. Custou-lhe a vida. Aqui e em Superman: Sacrifice podem ver como o Superman é completamente controlado mentalmente por um vilão, apenas com a Wonder Woman a tentar resolver o assunto e com uma enorme tareia pelo meio. Para resolver de vez o assunto, a Mulher-Maravilha comete um grande e grave pecado, embora necessário, foi completamente reprovado pelos seus dois amigos, Batman e Superman. Não vou contar mais. É uma estória absorvente, com muitos pormenores e não quero retirar prazer de leitura a quem decida ler este arco! Apenas digo que no fim de toda esta trama a Liga da Justiça fica completamente "esfrangalhada"! O resto fica para a apresentação de Infinite Crisis.
Boas leituras.

TPB
Criado por: Dave Gibbons, Ivan Reis, Greg Rucka, Jesus Saiz, Cliff Richards, Bob Wiacek, Bill Willingham, Justiniano, Gail Simone, Dale Eaglesham, Val Semeiks, Geoff Johns, Allan Heinberg, Greg Rucka, Mark Verheiden e muitos outros.
Editado entre 2005 e 2006 pela DC
Comprado no Book Depository
Nota : 8 em 10
Deixa o teu comentário

sexta-feira, 8 de maio de 2009

Lançamento ASA - Dilbert: Ideias Luminosas


Dilbert, o boneco sem boca foi criado por Scott Adams, sendo a sua primeira publicação em Abril de 1989. São tiras de humor que “parodiam” as políticas das empresas e as novas tecnologias, Abril de 2009 marcou o 20º aniversário de Dilbert.
Este personagem foi publicado nos anos 90 em Portugal no DN e em livro, sendo que cada novidade sua é um best seller do New York Times. Nos Estados Unidos já vendeu mais de 20 milhões de livros, e é publicado mundialmente em 2000 jornais de 70 países e 23 línguas.
Segue parte do press release da ASA:

A ideia de que Scott Adams, o criador de Dilbert, se introduziu secretamente em todos os gabinetes, cubículos e salas de reuniões da América – uma forte convicção dos fãs de Dilbert – foi desmistificada por especialistas com o cabelo espetado. Esta descoberta leva a uma ainda mais sinistra, mas inevitável, conclusão: a loucura que julgávamos exclusiva do nosso local de trabalho está a espalhar-se com uma malignidade viral por todo o mundo dos negócios.
Dilbert é, inadvertidamente, a figura emblemática do mundo empresarial. Neste livro, ele e Dogbert, o seu cão ávido de poder, proporcionam o humor necessário aos trabalhadores que, no mundo inteiro, labutam enfiados em pequenos cubículos.
Ele tem um sexto sentido para captar as nossas frustrações profissionais. Sabe tudo sobre o vice-presidente tecnofóbico, o supervisor de sistemas de informação fascista e até sobre o nosso colega mais idiota e teimoso. Como é possível? É assustador.

Autor: Scott Adams
Colecção: Dilbert
Nº de Páginas: 128
Edição: Brochada
Impressão: P/B
Tiragem: 2.000 exemplares

O livro chama-se DILBERT- Ideias Luminosas e saírá este mês para as livrarias. Para quem gosta de um bom cartune, tem aqui uma excelente aquisição!
Deixa o teu comentário

quarta-feira, 6 de maio de 2009

Lançamento ASA / Público: Clássicos Tintim


A ASA volta com o Público neste mês de Maio. E não, a nova série não tem a ver com a Votação Online para a próxima série Asa/Público, esta deve ter ficado para memória futura, pois nenhum dos heróis propostos para votação foi eleito para esta nova lista da parceria ASA/Público. A série a editar chama-se "Clássicos Tintim" e é composta por álbuns duplos de vários heróis, conhecidos entre nós por terem sido editados em português pela saudosa revista Tintim. A série tem começo em 20 de Maio e inicia com dois livros (num só) de Luc Orient, e logo com os dois primeiros livros da série, nunca editados em português. Há alguns títulos bastante apetecíveis para mim, mas não todos!
Ficam os livros e respectivas datas de lançamento:

1 - Luc Orient - Os Dragões de Fogo/Os Sóis de Gelo 20.05.2009
2 - Clorofila - Contra os Ratos Negros/Conspiradores 27-05-2009
3 - Jonathan - O sabor do Songrong/Ela ou Dez Mil Pirilampos 03-06-2009
4 - Michel Vaillant - O 8.º Piloto/Suspense em Indianápolis 10-06-2009
5 - Rock Derby - Os Tubarões do Ringue/Os Ladrões de Bonecas/Pânico no Paraíso 17-06-2009
6 - Bernard Prince - A Fortaleza das Brumas/Objectivo Cormoran 24-06-2009
7 - Clifton - Meu Caro Wilkinson/O Rapto 01-07-2009
8 - Vasco - O Ouro e o Ferro/O Prisioneiro de Satanás 08-07-2009

9 - Spaghetti - Spaghetti e os quadros a Óleo/Encontro de ciclistas/Em Paris 15-07-2009
10 - Ric Hochet - Uma armadilha para Ric Hochet/Ric Hochet contra "O Serpente" 22-07-2009
11 - Buddy Longway - O Vento Selvagem/O Manto Negro 29-07-2009

12 - Lester Cockney - A Ruptura/Oregon Trail 05-08-2009

Bastantes títulos desta série nunca foram editados em português, o que torna a série mais apelativa, quanto às imagem mostradas, referem-se às capas do primeiro e segundo volume .
De notar que alguns livros não são duplos, mas triplos: Spaghetti e Rock Derby !

Os inéditos em Portugal são Luc Orient, Jonathan, Michel Vailant, Ric Hochet, Buddy Longway e Lester Cockney. Os inéditos em álbum são Clorofila, Bernard Prince, Clifton e Spaghetti.
O preço de venda ao público será de 6,90 €
Boas leituras

Deixa o teu comentário

terça-feira, 5 de maio de 2009

Vasco Granja


Sim, foi este homem o culpado por eu começar a ler BD, primeiro pela revista Tintim (oferecida pelo papá) e depois com a revista Spirou (para a qual eu e o meu irmão juntavamos umas economias). Mas a "interferência" de Vasco Granja não ficava por aqui! Durante o fim de semana passava um dos programas com mais longevidade da televisão: Cinema de Animação! 16 anos de "bonecos animados" na televisão, e sempre com o pormenor da introdução de Vasco Granja! E sim... a Pantera Cor De Rosa que eu adorava... e já agora, lembram-se do "Lápis Mágico"? Era outra das minhas animações preferidas!
Por tudo isto lamento a sua partida ontem, 4 de Maio, 2009. Vasco de Oliveira Granja, nasceu a 10 de Julho de 1925 e teve uma vida cheia daquilo que gostava, BD e animação, chegando a ser juri no maior festival do mundo de Banda Desenhada: Angoulême, em 1974!
Sim, é este o culpado por eu gostar tanto de BD agora.
Talvez o livro Vasco Granja - Uma Vida... 1000 Imagens tenha agora a visibilidade que deveria ter tido durante a vida deste herói da BD nacional.
(Ainda me lembro quando o meu pai me ofereceu o nº14 do 4º ano, da revista Tintim!)
Descanse em paz!
Deixa o teu comentário

domingo, 3 de maio de 2009

O Incal


O Incal! Das obras mais marcantes da BD Franco-Belga. Determinou o início do Jodoverso, que continua em expansão. Série criada por Jodorowksy e Moebius, num ambiente de extremo sci-fi, e que fez as delícias dos jovens adolescentes dos anos 80 (eu incluído)!
Esta série começou a “desenhar-se” quando estes dois homens se encontraram durante a realização do fime “Dune” de Dan O`Bannon. Aqui Jodorowsky apresentou a sua ideia desta space-opera a Moebius, que de imediato começou a idealizar gráficamente toda a envolvência do mundo onde decorre o Incal.
De notar que os personagens do Incal têm correlação com cartas de Tarot, sendo que John Difool será “O Louco”, aliás vendo a etimologia do nome deste personagem chega-se depressa aí, John é um nome super vulgar e Difool (the Fool) significa tolo, louco.
Como séries derivadas d`O Incal temos:
- Antes do Incal
- Depois do Incal
- Incal Final
- Os Meta-Barões
- A Casta dos Meta-Barões
- As Armas dos Meta-barões
- Os Tecno-Papas
- Castaka
O Incal divide-se em seis livros, nas edições portuguesas (Futura e Meribérica):
- O Incal Negro (Futura:1983, Meribérica:1999)
- O Incal Luminoso (Futura:1983, Meribérica:1999)
- O que está em Baixo (Futura:1986, Meribérica:2001)
- O que está em Cima (Futura:1986, Meribérica:2001)
- A 5ª Essência: A Galáxia que sonha (Meribérica:1989)
- A 5ª Essência: O Planeta Difool (Meribérica:1990)

Toda a estória é baseada num universo que não tem nada de utópico, a degradação humana é bem patente, e em que Difool (o anti-herói por excelência) recebe um artefacto de grande poder. Difool é cobarde e pouco inteligente, sendo o seu pássaro, Deepo, e depois de ter engolido o Incal Luz, o mais inteligente dos dois. Dentro deste mundo surge um personagem que vai ter diversos “spin-offs” (séries derivadas), devido ao sucesso que teve: o Metabarão! Este foi enviado pela rainha do AMOK, Tanatah, para matar John Difool (JD) e obter o Incal Luz. Esta tem preso Solune, o filho adoptivo do Metabarão, e serve-se disso para o chantagear. Tudo tem ramificações que apenas vão sendo desvendadas ao longo da narrativa… Tanatah e Animah são irmãs e eram as guardiãs do Incal Negro e Incal Luz, respectivamente. Tanatah ansiava poder ilimitado, mas acabou por ficar sem nenhum Incal, pois trocou o seu Negro por tecnologia dos Tecno-Papas, e falhou na obtenção do Incal Luz. Solune é filho de Animah e JD, mas entregue por esta ao Meta-Barão, para este o educar como guerreiro. Kill o “Cabeça de Cão”, guarda-costas de Tanatah, quer vingança sobre JD porque este lhe furou a orelha. Deepo, o animal de estimação de JD, torna-se inteligente, inclusivamente ficou com o dom da fala, devido á influência do Incal.
Depois desta pequena apresentação de alguns dos personagens, podem ler como este grupo luta contra a trama dos Ovos Tenebrae, e a Treva propriamente dita.
É uma estória cheia de metáforas, mas divertida e o leitor é facilmente agarrado por todo este mundo!
Boas leituras.

Softcover
Criado por: Moebius e Jodorowsky
Editado entre 1983 e 1990 (série completa) por Futura e Meribérica
Nota : 10 em 10
Deixa o teu comentário

sexta-feira, 1 de maio de 2009

V Festival Internacional de Banda Desenhada de Beja


Bom... O Incal fica para Domingo :P , penso que esta é a hora certa para apresentar este festival neste blog.
O V FIBDB realiza-se de 30 de Maio a 14 de Junho, na cidade de Beja, claro :)
Visto estar a aproximar-se a data de início, aqui ficam algumas informações sobre o evento:

Entre os dias 30 de Maio e 14 de Junho, Beja volta a ser a capital da Banda Desenhada no nosso país: 20 exposições com mais de 70 autores de 8 países (Portugal, naturalmente, mas também a Bélgica, o Brasil, os Estados Unidos, a Escócia, a Espanha, a Itália e a Sérvia).
Este ano o Festival espraia-se pela Casa da Cultura (o núcleo principal, onde se encontra instalada a Bedeteca de Beja), pela Biblioteca Municipal, pelo Museu Jorge Vieira – Casa das Artes, e pelo Museu Regional de Beja, no coração do centro histórico. Em Beja estarão presentes alguns dos mais conceituados autores mundiais, como Craig Thompson ou Lorenzo Mattotti, mas também muitos autores que começam agora o seu percurso na exigente arte de narrar histórias em imagens.
E porque um Festival não se pode limitar apenas às exposições, Beja agendou 15 dias de Programação Paralela a pensar em todos os públicos, com lançamentos, sessões de cinema, workshops para todas as idades, conferências, sessões de autógrafos, etc. A Programação Paralela decorrerá essencialmente na Bedeteca de Beja (Casa da Cultura), mas também na Galeria do Desassossego e no Pax Julia – Teatro Municipal.

EXPOSIÇÕES INDIVIDUAIS
Alex Gozblau
Alberto Vázquez (Espanha)
Carlos Rocha
Craig Thompson (Estados Unidos da América)
Denis Deprez (Bélgica)
Fernando Gonsales (Brasil)
Gary Erskine (Escócia)
Hugo Teixeira
João Maio Pinto
Lorenzo Mattotti (Itália)
Marco Mendes
Pedro Burgos
Richard Câmara
Rui Cardoso

EXPOSIÇÕES COLECTIVAS
All-Girlz
Com Ana Biscaia, Ana Freitas, Andreia Rechena, Carla Pott, Cláudia Dias, Inês Casais, Joana Pereira, Joana Sobrinho, Kati Zambito, Marta Monteiro, Rosa Baptista, Sara Franco, Sara Mena Gomes, Sofia Verdon e Sónia Oliveira

All-Girlz Banzai
Com Joana Lafuente e Selma Pimentel

Atelier de Serigrafia Mike goes West
Com Alberto Corradi, Aleksandar Zograf, André Lemos, Filipe Abranches, Gianluca Costantini, João Maio Pinto, José Feitor, Luís Henriques, Marco Mendes, Max, Miguel Carneiro e Mike Diana

Luminus Box
Com Catarina Guerreiro, Tânia Guita e Telma Guita

Venham + 5
Com Agonia Sampaio, Carlos Apolo Martins, Carlos Bruno, Diego Blanko, Inês Freitas, João Lam, Kike Benlloch, Lobato, Luís Guerreiro, Maria João Careto, Paulo Monteiro, Pedro Brito, Pedro Ganchinho, Pedro Rocha Nogueira, Susa Monteiro, Véte e Zé Pedro

Voyager
Com Diogo Campos, Diogo Carvalho, Luís Belerique, Luís Maiorgas, Nelson Nunes, Phermad, Ricardo Reis e Rui Ramos


Organização: Câmara Municipal de Beja – Bedeteca de Beja Parceria: Museu Regional de Beja / Associação para a Defesa do Património Cultural da Região de Beja

Ainda não tenho datas para a presença destes artistas em Beja, mas quando isso acontecer, irei concerteza fazer uma adição a este post!
Agora fica a arte de alguns dos convidados deste certame:










Alberto Vázquez



















Alex Gozblau



















Craig Thompson


















Denis Deprez
















Fernando Gonsales


















Gary Erskine


















João Maio Pinto



















Lorenzo Mattotti


















Pedro Burgos



















Rui Cardoso











Marco Mendes




Pela minha parte, e se puder ir a Beja, terei muito gosto em ir rever alguns amigos da BD e levarei concerteza o meu Blankets e o Absolute Authority vol.2 para serem assinados pelos autores C.Thompson e G.Erskine, que já estão confirmados, claro! Os autores estarão presentes para autógrafos nos dias 30 e 31.
Boas leituras!
Deixa o teu comentário