sábado, 25 de junho de 2011

Blog Suspenso


Este blog está suspenso!











Para sete dias de férias...
:D

Até para o próximo fim de semana
Deixa o teu comentário

quarta-feira, 22 de junho de 2011

Autores: Stjepan Šejić (Stephan Sejic)


Stjepan Šejić é um artista croata de 30 anos de idade que se notabilizou pelo pormenor e detalhe dos seus trabalhos. Artista muito solicitado para capas no mercado norte-americano, trabalha neste momento sobretudo para a Top Cow.
Apesar de a Top Cow quase o monopolizar, também já fez trabalhos para a Marvel (Inhumans, She-Hulk e X-Men) Virgin Comics (Devi), Zenescope ( Grimm Fairy Tales e 1001 Arabian Nights: The Adventures of Sinbad) e Dynamite (Red Sonja e Army of Darkness).
O seu trabalho é largamente influenciado por Michael Turner e Marc Silvestri, embora já tenha descolado há bastante tempo do estilo destes dois artistas. Neste momento é perfeitamente perceptível descobrir quando um trabalho tem a sua assinatura, embora assine muitas vezes com o seu pseudónimo: Nebezial!
A sua técnica de trabalho torna muito demorada a finalização das páginas, por isso, e infelizmente é muito raro encontrar um arco de estória completamente feito por ele.
A sua técnica habitual consiste no desenho a lápis primeiro, seguida do tratamento e cor digital. Já vi trabalhos dele apenas a lápis espantosos, e mais espantoso é o detalhe e a sensibilidade para dar a cor e textura digital.
Os seus trabalhos actuais, e de há um tempo para cá têm-se fixado na série Witchblade e no anti-herói The Darkness, ambos na Top Cow.
Têm aqui algumas imagens deste autor, completamente aleatórias entre as muitas que eu tenho, pois são tantas e de qualidade que não tive pachorra para estar a escolher…
:D













Podem ainda clicar neste link para um dos mais bonitos wallpaper que eu já vi:
Darkness / Angelus: Wallpaper
Claro que o autor é Stjepan Šejić !
Boas leituras
Deixa o teu comentário

terça-feira, 21 de junho de 2011

Ilustração: Grimm Fairy Tales

Grimm Fairy Tales é a série, de uma editora independente, com maior longevidade neste momento no mercado Norte-Americano. A editora chama-se Zenescope, e os livros desta série já têm várias reedições, o que demonstra o sucesso da série. Muitas vezes a arte não é a mais perfeita, porque são apresentados muitos artistas diferentes, alguns estreantes outros quase desconhecidos, mas atingiu o alvo! O seu público! Os Grimm Fairy Tales foram adaptados para crianças, porque na sua génese eram contos de terror, e a Zenescope por intermédio de Ralph Tedesco catapultou-se com esta série piscando o olho aos adolescentes masculinos, que procuram figuras graficamente sensuais, para um êxito que ninguém poderia prever. Já vai no nono livro (impressionante para uma pequena editora) e a ilustração de topo é a do comic nº50! Foi assim que celebraram, com esta magnífica capa! Para além disso, e visto que a receita deu resultado, esta editora apostou fortemente noutras estórias "infantis":
- Wonderland Trilogy (Return to Wonderland , Beyond Wonderland, Escape from Wonderland)
- Neverland
- Tales from Wonderland
- 1001 Arabian Nights: The Adventures of Sinbad













Um caso de sucesso que ninguém esperaria!
Boas leituras
Deixa o teu comentário

segunda-feira, 20 de junho de 2011

Prateleiras (5)


A colecção de figuras de chumbo da DC vai avançada, e eu tenho de salientar o facto destas figuras starem formidáveis, na sua maior parte. Destaco Aquaman, Hawkman e o Scarecrow!
Em baixo coloquei fotografias de pormenor!
:)










E aqui apresento-lhes um super-vilão que costuma atacar em minha casa, o Clam-Man mais conhecido por Ameijoa Man! Sempre que aparece eu dou cabo dele!
:P

Vou ter de pensar em dividir estas figuras por mais prateleiras, o peso começa a ser excessivo...
:D
Deixa o teu comentário

sábado, 18 de junho de 2011

Prateleiras (4)


Esta prateleira ficou curiosa, pois só agora reparei que é exclusiva da DC Comics no que diz respeito a livros, mas a bonecada é toda da Marvel... Tenho de resolver isto quando puser portas no armário que contem os livros da Marvel!
Para além disso tenho de repartir as figuras da DC, que já levam muitos quilos de peso como mostrarei em breve!
Infelizmente o Duende Verde (Green Goblin) não ficou de corpo inteiro em nenhuma das fotografias mais em pormenor...
:(

Ficam umas fotos mais detalhadas destas figuras!
;)



Avengers




Fantastic Four e relacionados, tenho orgulho no Galactus... É soberbo!




Spider-Man, DareDevil e relacionados. O Blade aparece tipo penetra...




X-Men, (o Duende Verde está ali a fugir...).

Já agora acho a pintura em muitas destas figuras da Marvel muito desleixada, e com cores sujas, ao contrário das figuras da DC. Acrescento que as figuras normais da Marvel também são um pouco mais baixas que as da DC.
(Adoro figuras de chumbo...)
;)
Deixa o teu comentário

Star Wars: The Thrawn Trilogy


Star Wars é uma saga que inverte aquilo a que estamos a assistir neste momento, ou seja, o cinema está a aproveitar em grande escala a Banda Desenhada para grandes filmes baseados em personagens “de papel”; neste caso o universo que todos conhecemos dos seis míticos filmes passou com sucesso para o papel. Mais, o universo criado nestes filmes foi ampliado para milhares de anos antes, como os dois já apresentados neste blog, e para muitos anos depois do último filme que tem como ícone a batalha de Endor, e morte de Darth Vader.
Comprei vários Omnibus, sobre a história anterior ao primeiro filme (Star Wars: Tales of the Jedi), que gostei muito, e este ano arrisquei duas trilogias que são passadas seis anos depois (The Thrawn Trilogy) e doze anos depois (Dark Empire Trilogy). Tive um pouco de receio neste dois livros, pois poderiam acabar com a magia dos seis filmes que eu tinha na memória, mas tal não aconteceu!
Enriquecem o nosso imaginário, contam estórias com os heróis que conhecemos e vibramos nos filmes, e introduzem várias novas personagens que são uma mais-valia enorme. Uma delas seria óptima para um enorme spoiler, mas como é lógico não irei desvendar esse “mistério”…
Posso dizer com propriedade que a Banda Desenhada já passou muito à frente dos filmes existentes e era espectacular que George Lucas pegasse nisto para uma estrondosa sequela!
A editora responsável pelas adaptações de Star Wars à BD é a Dark Horse, e este livro em que Mike Baron trabalhou na adaptação para BD tem como autor Timothy Zahn. Os artistas de serviço são bastantes e variados, tanto em estilo como em qualidade, mas todos eles cumprem perfeitamente de maneira a termos uma boa obra de BD. São eles Olivier Vatine, Fred Blanchard, Vincent Rueda, Terry Dodson, Kevin Nowlan, Edvin Blukovic, Eric Shanower e como coloristas temos Isabelle Rabarot, Pamela Rambo e Dan Brown. É claro que o nome que salta mais à vista é o de Terry Dodson (Wonder Woman: The Circle, Homem-Aranha & Gata Negra: O Mal que os Homens Fazem), mas temos outras boas prestações de desenhadores menos conhecidos do público português.
Não pensem que este livro é de leitura leve, pois temos muitas coisas novas: novos personagens importantes, como Mara Jade e o Grand Admiral Thrawn, novas e espectaculares naves, mundos ainda não vistos, uma intriga política muito densa, estratégias militares planeadas ao milímetro, e porque não dizê-lo… um Jedi velho e esclerosado que nem serve o código Jedi, nem respeita o Lado Negro. No meio disto tudo aparecem os maravilhosos contrabandistas e caçadores de prémios (que eu adoro) e promessas de vingança antigas!
Denso!
Luke quer reanimar e criar uma nova linhagem de Jedis, estando a sua irmã Leia (agora muito mais treinada nas técnicas Jedi) casada com o irreverente Hans Solo e grávida de Gémeos.
Depois da derrota do Império na batalha de Endor e da morte de Darth Vader e do Imperador a República tornou a governar, mas as querelas, intrigas, traições e dissensões são muitas. Assim o homem que ficou à frente das tropas do Império, o Grand Admiral Thrawn, procura através de novas e singulares estratégias de combate tanto militar como na sombra dos corredores políticos de Coruscant, levar a melhor sobre a República e seus principais emblemas. Esta personagem é o oposto de Darth Vader, mas é talvez a melhor do livro! Adorei este vilão! Imaginativo, perspicaz e grande estratega. Mara Jade foi outra excelente aquisição para o livro, mulher forte que se quer vingar de Luke por algo que aconteceu no sexto filme… conseguem imaginar quem era ela neste filme? A sua função durante o Império do senador Palpatine era, digamos uma das suas assassinas de eleição, para além disso possui em si também a “Força”… e neste momento tem uma ideia fixa: pôr fim à vida de Luke Skywalker!
Mas uma coisa em comum tem todas estas personagens, foram muito bem pensadas de maneira a fazerem mesmo parte do universo Star Wars! Nem por um momento um fanático desta série diz que foram lá metidos à pressão para encher! Elas cumprem todos os requisitos, inclusivamente o seu passado, para o leitor pensar que elas sempre existiram.
Assim, temos um excelente livro que se espalha por mais de 400 páginas com certeza do agrado de quem gosta de Star Wars! Falando no livro, posso dizer que é uma excelente edição em capa dura da Dark Horse com bom papel e bem compacto.
Fica para depois uma nova crítica ao livro seguinte que já li e gostei: Dark Empire Trilogy!
Ahh! Já me esquecia… uma das coisas de que eu tinha medo em livros que contivessem a figura do Luke Skywalker e da sua irmã Leia, era que fossem retratados com aquele ar totó dos filmes. Tal não acontece, felizmente! Reconhece-se que são eles, mas sem ar de totós…
De qualquer maneira sou suspeito, sou fã de Star Wars!
:D

Hardcover
Criado por: Timothy Zahn, Mike Baron, Olivier Vatine, Fred Blanchard, Vincent Rueda, Terry Dodson, Kevin Nowlan, Edvin Blukovic, Eric Shanower, Isabelle Rabarot, Pamela Rambo e Dan Brown.
Editado em Dezembro de 2009 pela Dark Horse
Nota: 9 em 10
Deixa o teu comentário

quinta-feira, 16 de junho de 2011

Porque me apetece... (I)


E hoje apetece-me dizer isto...
Como devem ter reparado ao longo deste últimos dois anos faço sempre publicidade ao livros que a ASA lança. Sim tenho uma "rubrica" de "Lançamentos", em que faço publicidade aos livros todos que esta editora lança para o mercado. Existe uma razão para isso, a ASA manda-me um press release dos livros que vai lançar ou lançou há pouco tempo. Assim como fiz para a Booksmile no caso do Scott Pilgrim e para a Polvo no caso de Hans, O Cavalo Inteligente, e Tinta-da-China com Pizzaboy, e Kingpin com Agentes do C.A.O.S. e Off Road, ou outros que já não me recordo.
Como é uma coisa que faço por gosto, e não peço para me pagarem por publicidade a produtos que irão ser vendidos, também não vou "pedinchar" a nenhuma editora, que vai lançar ou lançou livros, para me mandar material de divulgação.
A ASA manda tudo o que tem para mim, eu agradeço e muitos leitores do blog também. Se outros não o querem fazer também não os obrigo. Ou seja, faço divulgação de obras que vão sair para o mercado para que o máximo de leitores saibam o que está para sair, e porque amo a BD.
Se existem editoras que se estão a borrifar para isso eu compreendo, não compreendo "bocas" maldizentes que dizem que eu só ligo à ASA.
Quem quiser lançar para o mercado, nem que seja um fanzine, desde que me mande material de divulgação (uma capa e um texto) eu faço-o respeitando minimamente o calendário que tenho para outro tipo de posts. Pode não ser logo, mas faço.
A ASA gosta de publicidade, eu faço!
Se outros não gostam... eu não faço!

Ando "numa" de desabafos, como podem também ver neste link;
Kuentro: Tinta nos Nervos

Boas leituras
Deixa o teu comentário

quarta-feira, 15 de junho de 2011

Lançamento ASA: Tintin na América (Ed. Fac-similada)


Uma edição inédita de Tintin em português!
No ano em que o Tintin faz 75 anos que surgiu a 1ª publicação em Portugal e em que será estreado o filme deste herói pela mão de Spielberg, a ASA brinda-nos com uma edição inédita fac-similada.
Será que vamos ter mais álbuns fac-similados? Isso era bom e diferente! Gostava de ler a versão fac-similada do Tintin no Congo...
Fica o press release da ASA:

Tintin na América (Ed. Fac-similada)

Tintin parte para a América durante o período da lei seca. Em Chicago é raptado por gangsters, cujo chefe é Al Capone, que o consideram perigoso. Após escapar e ser de novo perseguido, acaba por encontrar os peles-vermelhas…

Colecção: Tintin
Nº de págs: 64
Tiragem numerada limitada a 2000 exemplares
Autor: Hergé
Edição: cartonada com lombada a cor
ISBN: 978-989-23-1298-9

Data lançamento: 29 de Junho 2011

Boas leituras!
Deixa o teu comentário

terça-feira, 14 de junho de 2011

Lançamento ASA: Lucky Luke Vol.57 - Subindo o Mississipi


A ASA lançou este mês mais um livro da série Lucky Luke, o cowboy que dispara mais rápido que a própria sombra.
Subindo o Mississipi é mais uma reedição deste herói, mas sabe sempre bem revisitá-lo, pois é sempre divertido...
Para além disto... gosto de ver o Lucky Luke de cigarro na boca e não com aquela palhinha horrível...
:D

Lucky Luke
Subindo o Mississipi

Num altura em que os negócios são difíceis, os capitães Barrows e Lowriver disputam o monopólio da circulação no rio Mississípi. Decidem efectuar uma corrida e apostam que ficará com o negócio quem conseguir chegar primeiro. Barrows, que teme sabotagens, pede a Lucky Luke que o acompanhe a bordo do “Daisy Belle”, mas os trapaceiros contratados por Lowriver também estão a bordo…

Colecção: Lucky Luke
Nº de págs: 48
Autores: Goscinny e Morris
Edição: cartonada
ISBN: 978-989-23-1448-8

Data lançamento: 8 de Junho 2011

Boas leituras!
Deixa o teu comentário

segunda-feira, 13 de junho de 2011

Agentes do C.A.O.S. – Nova O.R.D.E.M.


A Kingpin publicou o ano passado durante o Amadora BD a compilação do primeiro arco de histórias sob o nome de Agentes do C.A.O.S. – A Conspiração Ivanov. Uma boa publicação, em bom papel e boa apresentação. A história não estava mal e a arte acompanhava bem. Foi um dos títulos, a par do Super Pig, que iniciou a aventura editorial da Kingpin, apresentando-se num registo de policial negro, com pitadas de conspiração internacional.

Ainda bem que a Kingpin resolveu editar este primeiro C.A.O.S. em formato livro, pois a publicação só ganhou com isso, abrindo caminho para que o segundo livro da série saísse logo de início com esse formato!
Assim, durante o Anicomics deste ano saiu Agentes do C.A.O.S. – Nova O.R.D.E.M.!
Bastante mais adulto, nota-se que o autor da história, Fernando Dordio, cresceu neste livro com um registo mais “nervos à flor da pele” , com a componente emocional mais solta fazendo com que o leitor vista a pele das personagens.

A história está bem construída, e como eu acho que tudo é uma questão de treino, espero que Fernando Dordio não largue estes seus policiais bem negros, porque se o próximo ainda for melhor pode-se dizer que ele terá atingido um patamar bem elevado neste tipo de registo! Violento e negro!

O artista de serviço foi o Osvaldo Medina, que esteve como um peixe na água! O seu traço presta-se a este tipo de história, deu grande expressividade às personagens e a montagem/construção das páginas está muito boa! Sem dúvida que se vai afirmando como um dos expoentes da nossa BD, mesmo sem internacionalizações.

Quanto ao primeiro trabalho de Mário Freitas como colorista (acho que é o primeiro) penso que o editor se “safou” bem! Usando uma palete de cores a atirar para o sóbrio, como convinha para este registo onde a cor não tem um lugar proeminente, usa os vermelhos a espaços para marcar bem a violência de algumas cenas.


A história traz de novo um Inspector Franco resiliente e implacável! Depois de um grande atentado no Metropolitano de Lisboa um grupo terrorista rapta três detetives para servirem de moeda de troca a determinadas informações secretas. Mas será que isto não é tudo um engodo para algo maior? Será que a nossa Polícia Judiciária andou ao engano?
Franco vai provar que está velho, mas os seus ossos são muito duros e não é qualquer terrorista que os consegue roer…

Siga as aventuras dos nossos agentes da Judiciária, porque são diferentes e porque nos conseguem prender numa aventura bem contada, e desenhada!
A nossa BD está a crescer felizmente!
E a Kingpin como editora também!
Duas realidades que me põem feliz como “nerd” da BD, e me fornecem “combustível” para eu continuar alegremente a apoiar a nossa BD!
Boas Leituras

TPB (Capa mole com badanas)
Criado por: Fernando Dordio, Osvaldo Medina e Mário Freitas
Editado em 2011 pela Kingpin Books
Nota : 7,5 em 10
Deixa o teu comentário

sábado, 11 de junho de 2011

Lançamento ASA: Corto Maltese - Longínquas Ilhas do Vento / Sob a Bandeira dos Piratas


A ASA segue a sua série Corto Maltese editando mais dois álbuns: Longínquas Ilhas do Vento e Sob a Bandeira dos Piratas.
Seguindo a filosofia do anterior álbum, Mú, estes dois livros saíram em capa dura com exclusividade para as livrarias da cadeia FNAC, sendo agora editados em capa mole para o resto das livrarias.
Fica o press release da ASA:

Longínquas Ilhas do Vento




“Corto Maltese está nas Caraíbas, navegando de ilha em ilha, ao sabor do vento e dos seus caprichos. Mas tal como um sonho que se transforma em pesadelo, este cruzeiro paradisíaco na companhia do professor Steiner vai complicar-se
extraordinariamente. Assim, o nosso marinheiro cruzar-se-á com uma perigosa aventureira, uma jovem acusada da prática de vodu e índios encolhedores de cabeças. E Corto, como sempre, no local errado e à hora errada, terá dificuldades em
salvar a sua pele e a dos seus amigos.”

Colecção: Corto Maltese
Nº de págs: 96
Autor: Hugo Pratt
Edição: capa mole
ISBN: 978-989-23-1008-4

Data lançamento: 1 de Junho 2011




Sob a Bandeira dos Piratas




“ Corto Maltese, um pirata? Chamemos-lhe antes o último cavalheiro da fortuna, com todas as características do salteador de estradas e do marinheiro romântico. Mas Corto é também e, sobretudo, um aventureiro sem medo nem escrúpulos. Vive numa liberdade frágil e absoluta, na busca impossível de tesouros que se eclipsam uma vez alcançados. Tal como o ouro de Santo. Tal como a mulher dos seus sonhos. Tal como um punhado de areia na água.”

Colecção: Corto Maltese
Nº de págs: 96
Autor: Hugo Pratt
Edição: capa mole
ISBN: 978-989-23-1009-1

Data lançamento: 1 de Junho 2011




Boas leituras!
Deixa o teu comentário

quinta-feira, 9 de junho de 2011

Absolute Planetary Vol.2



A saga Planetary chegou ao fim! Gosto de estórias com princípio, meio e fim. Nos comics norte americanos quando algo tem sucesso há sempre quem queira esticar a corda prolongando séries para além dos limites, acabando por se tornar monótonas. Não foi o caso, felizmente!

A revista nº 27, que fecharia a série demorou muitos anos a sair, por dificuldades de Warren Ellis em fazer um final a seu contento… acabou por ser publicada em 2009, oito anos depois do nº26!
Planetary também fez história com os formatos de apresentação, o formato “Absolute” da DC e suas "imprints" (tamanho bastante superior ao normal, papel e impressão de superior qualidade, caixa, sobrecapa e uma excelente ligação entre as páginas e a lombada) foi inaugurado com o Absolute Planetary Vol.1! Este volume foi “rei” no EBay durante bastante tempo, pois esgotou muito rápido e a sua procura foi sempre grande. Mas como a DC optou sempre por não fazer 2ª edição de nenhum dos livros neste formato, os preços que atingia eram bastante altos! Bem… a DC, com a edição em vista do segundo volume, resolveu fazer com o primeiro volume mais um golpe comercial, Absolute Planetary Vol.1 foi o primeiro Absolute a ter uma reedição!
Infelizmente o sucesso desta série é tão grande que essa segunda edição já esgotou tempos atrás, assim como o segundo volume! Agora só no EBay e noutros sites de leilão se consegue obter estes magníficos livros. Para quem não quiser esta versão de luxo, a DC editou a série em quatro volumes normais, tanto em formato TPB (capa mole) como em Hardcover (capa dura).
Quanto ao autor da estória, Warren Ellis, é minha opinião que esta é a sua melhor obra! Não conheço nenhuma tão bem detalhada, com pormenores muito interessantes espalhados por um mundo complexo, num registo multidimensional. O espaço desta estória passa-se em todo o lado, na Terra, no espaço e em dimensões alternativas. A ligação entre os vários episódios está excelente, com a inclusão de muitos personagens “pulp” da primeira metade do sec. XX! Até um episódio com o equivalente a Tarzan está lá presente, e como sempre faz uma excelente e importante ligação para origem de um dos personagens principais da equipa Planetary!
A arte… A ARTE É DESLUMBRANTE! Cassaday que começou a série titubeando, à procura do seu estilo, acaba em grande! Cenários majestosos, páginas de detalhes impressionantes e outras impressionantes pela simplicidade apresentada! Mas para o luxo visual também existe outro responsável, a colorista Laura Martin que vestiu o desenho de John Cassaday com cores maravilhosas, sem estragar o trabalho artístico deste! Toda esta grandiosidade artística atinge a sua plenitude nas páginas grossas e em papel brilhante com que o formato “Absolute” desta série nos presenteia.
Planetary é um grupo de “arqueólogos do impossível” que tenta desenterrar a história secreta da Terra. Este grupo é formado por Elijah Snow (consegue extrair o calor do ambiente ao seu redor gelando-o), Jakita Wagner (invulnerabilidade, força e rapidez sobre-humana), “The Drummer (controla e manipula fontes de comunicação, sistemas informático e eletrónicos), Ambrose Chase (membro desaparecido que manipulava campos de distorção) e o “Fourth Man” que fica para vocês descobrirem quem é!
Esta equipa viaja pelo mundo investigando fenómenos estranhos: monstros e outras criaturas, relíquias incomuns, outros super seres, segredos poderosos que certos indivíduos tentam manter escondidos do resto do mundo. A sua finalidade é em parte a curiosidade, e se possível usar todo esse conhecimento para o aperfeiçoamento da humanidade. Há, no entanto, grupos que se opõem aos seus objectivos.
Esta organização tem uma história bem intrincada, assim como o grupo oponente, que nos é revelada gradualmente ao longo da série.
Gostaria de falar um pouco sobre a estória propriamente dita, mas é muito difícil de o fazer sem estragar o prazer de leitura a quem ainda não leu, e deseje conhecer a série. Posso dizer que Elijah Snow recuperou a memória, que tinha sido bloqueada pelo grupo opositor, “The Four”, e promete vingança por tudo o que fizeram e pretendem fazer! Este grupo faz o mesmo que a Agência Planetary, mas quer as descobertas para proveito próprio, não olhando a meios para isso! Neste volume viaja-se para o espaço e para dimensões alternativas. Este mundo de dimensões alternativas é o mesmo da série “Authority”, ou não fosse o autor o mesmo…
Mais alguma informação em Absolute Planetary Vol.1
Desejo-vos boas leituras e recomendo esta série!



Slipcased Hardcover
Criado por: Warren Ellis, John Cassaday e Laura Martin
Editado em 2010 pela Wildstorm
Nota : 11 em 10
Deixa o teu comentário

quarta-feira, 8 de junho de 2011

Lançamento ASA: Yu-Gi-Oh! Vol.5 – O Terror do “Blue Eyes"


Mais um lançamento para este mês da ASA.
A primeira série deste Manga está quase concluída, são sete os livros que a compõem.
A publicação desta série tem, e terá, a cadência de um livro por mês, até ao volume sete. Diga-se que é uma excelente cadência de publicação, nada normal para o nosso mercado!
Segue o press release da ASA:

YU-GI-OH! Vol.5 – O Terror do “Blue Eyes"

Associada a esta série existem jogos de cartas, de tabuleiro, on-line, para PC e consola;
Adaptada ao anime, esta série é actualmente exibida em Portugal na SIC Kids;
Já foi traduzida em mais de 20 línguas e transmitida em mais de 60 países;

Quando Yugi derrotou o seu colega Seto Kaiba no jogo de cartas coleccionáveis “Duelo de Monstros”, não sabia até onde Kaiba iria para se conseguir vingar! Este super-génio louco gastou $85 milhões para construir um Parque de Diversões da Morte com o intuito de torturar Yugi e os seus amigos, desenvolvendo armadilhas mortais e contratando assassinos com motosserras como adversários de jogo!
Yugi, Jonouchi e Anzu chegaram praticamente ao fim do jogo – mas o seu amigo Honda, preso na “Sala dos blocos que caem do Céu”, não teve tanta sorte...

Colecção: Mangá
Nº de págs: 200
Autor: Kazuki Takahashi
Edição: brochada com capa brilho
ISBN: 978-989-23-1421-1

Data Lançamento: 15 de Junho 2011

Boas leituras
Deixa o teu comentário

terça-feira, 7 de junho de 2011

Lançamento ASA: Os Funcionários - Sempre em Festa


Novo lançamento humorístico da ASA para o dia 22 de Junho!
Os gags sucedem-se sucessivamente sem cessar! A ASA quer pôr-nos um sorriso para o Verão, e para isso cá estão os Funcionários!
Assim como "Os Campistas", esta série é pertença da editora francesa Bamboo e já conta com onze números no original!
Segue o press release da ASA:

Os Funcionários - Sempre em Festa

Série de Humor com uma história por página, recheada de gags, sobre os funcionários.

Uma grande vaga de entradas na reforma desabou sobre a nossa administração. Os futuros reformados nunca andaram tão atarefados! Com efeito, organizar uma festa de despedida não é tão simples como pensam! Nem mesmo o nosso sindicalista sabe às quantas anda. Poder de compra, crise, serviço mínimo, aumento do preço da bica… as razões para haver manifestações, multiplicam-se enquanto se esgotam os cartazes! Acompanhem os nossos funcionários nestes gags cheios de humor! Um álbum de que o público não se deve privar!

Colecção: Humor
Nº de págs: 48
Autores: Bloz & Béka
Edição: capa mole
ISBN: 978-989-23-1503-4

Data lançamento: 22 de Junho 2011

Boas leituras!
Deixa o teu comentário

segunda-feira, 6 de junho de 2011

Lançamento ASA: Os Campistas - Parque de Campismo Bela-Vista


A ASA vai iniciar uma série "fresca" e de registo cómico para o Verão que se avizinha.
Os "gags" cómicos rodam à volta do campismo de Verão, como sugere o título, e nesta altura do ano, onde roupa não é muita, não faltam motivos e situações cómicas na "comunhão" do campista com a natureza, e claro... com os outros campistas!
Esta série já tem cinco álbuns editados em França.
Fica o press release da ASA:

Os Campistas - Parque de Campismo Bela-Vista

Série de Humor com uma história por página, recheada de gags, sobre o campismo e os campistas.

Com «Os Campistas», relembrem as alegrias da comunhão com a natureza, da tenda que levanta voo à mínima rajada de vento e a promiscuidade depois do aperitivo… Resumindo, é a vossa vez de rir a bom rir!
Quer sejam adeptos da clássica canadiana, da caravana toda equipada ou da autocaravana de difícil manobra, nada poderá diminuir o entusiasmo desses nómadas modernos - nem mesmo os sanitários coletivos de se torcer o nariz; o que conta é trabalhar para o bronze à beira da piscina ou rebolar-se no baile com umas estrangeiras de perder a cabeça (ou ir mais longe, se a coisa se proporcionar).
Se, mal surgem uns dias de calor, os seus pés não conseguem resistir às havaianas, se acha que convívio rima com veraneantes bronzeados ou se quando o seu cão ladra, a caravana passa, então, não procure mais: leia «Os Campistas» e terá verão todos os dias!

Colecção: Humor
Nº de págs: 48
Autores: Swinnen/Dugomier/Maltaite
Edição: capa mole
ISBN: 978-989-23-1502-7

Data lançamento: 22 de Junho 2011

Boas leituras
Deixa o teu comentário

domingo, 5 de junho de 2011

BD Pop Rock Português: António Variações


Porque eu gosto do António Variações
Porque eu gosto de Banda Desenhada
Achei este sexto volume quase um insulto à memória de um dos nossos melhores interpretes musicais/compositores.
O “quase” apenas está na frase anterior porque o CD tem uma boa escolha de músicas e os textos que estão depois da “Banda Desenhada” também não estão nada mal.
O ilustrador Daniel Lima que me perdoe, mas as ilustrações (nem considero aquilo BD) estão medíocres! António Variações merecia muito melhor!
Só falei agora sobre esta colecção porque considero que já tenho uma ideia bastante boa sobre ela. São só autores alternativos, não apelativos ao público em geral, ou seja, uma péssima publicidade à BD. Se aquilo é só para os amigos, pronto… está bem! Mas nesse caso fariam uma edição muito limitada, tipo fanzine, para vender só aos amigos! Assim, um possível futuro leitor e comprador de BD que achou o projecto interessante, hipoteticamente comprou este livro (ou outro desta colecção), não comprará mais nenhum! Esta colecção vale sobretudo pelos CDs que estão bastante bons… Infelizmente a parte gráfica ficou para uma minoria que gosta deste tipo de registo. Assim afastamos o público em geral, só os “nerds” como eu vão continuando a comprar, porque também temos o bicho do coleccionismo, e não gostamos de ter séries incompletas, aliás se eu soubesse que iriam ser todos assim não teria comprado o primeiro. Existem limites para tudo, e já expliquei a minha posição sobre este assunto no post Comercial Vs. Alternativo .
Assim NÃO!
Assim a BD neste País nunca sairá do estigma de ser para crianças, ou do outro de que “é só para intelectuais”…
Existem dois ou três livros desta colecção, que também são de registo alternativo, mas têm qualidade e são bastante expressivos.
Agora eu pergunto… mas o que é que é isto??? Nunca há dinheiro para editar BD e depois gasta-se nisto, em “bonecada” sem pés nem cabeça?
Não percebo… ou se calhar agora percebo porque é que o Pedro Abrunhosa não quis participar nesta colecção… penso eu de que…
Por último, quero agradecer ao Diário de Notícias por estas maravilhosas escolhas...
Só ponho uma imagem deste livro, porque gosto muito de BD.

Boas leituras!

Hardcover
Criado por Daniel Lima (BD) e António Variações + Humanos (CD)
Editado em 2011 pelo Diário de Notícias
Nota BD: 2 em 10
Nota CD: 9 em 10
Deixa o teu comentário