segunda-feira, 24 de abril de 2017

2017 Will Eisner Spirit of Comics Retailer Award: Kingpin Books


https://scontent.flis5-1.fna.fbcdn.net/v/t1.0-9/18118964_10156981943087037_4872521532878193203_n.jpg?oh=f1e9f51598c0dabdb200a4c9b1bc106b&oe=598301B6
 

"Dear Retailer,

Congratulations!
Your store has been nominated for the 2017 Will Eisner 'Spirit of Comics' Retailer Award. This award was created by Will Eisner as a way to honor the hard work put in by comic book store owners."


 A loja portuguesa Kingpin Books foi nomeada para os prémios Eisner, apelidados de "Oscars" da BD!
Uma notícia que deve ter provocado um enorme orgulho ao Mário Freitas quando recebeu a carta da San Diego Comic Con com esta informação.

O LBD não podia deixar passar este momento que premeia o espírito e o coração que o Mário Freitas coloca em tudo o que faz.
E o LBD não podia deixar passar isto por duas razões, primeiro porque é o reconhecimento da qualidade de uma loja de BD portuguesa, e segundo porque considero o Mário um amigo e sei o importante que isto é para ele.


Já agora para vosso conhecimento deixo alguns critérios de escolha dos nomeados para esta categoria dos prémios Eisner:

CRITERIA for judging include:

  • Supporting a wide variety of innovative material.
  • Providing opportunities for creators’ material to reach buyers; stocking a diverse inventory.
  • Knowledge: Working to stay informed on retailing as well as on the comics field.
  • Community activity: Promoting comics to the community; maintaining relationships with schools and libraries; keeping active in social, business, and arts community organizations.
  • Quality of store image: Using innovative display approaches; using store design creatively.
  • Adhering to standard ethical business practices.


Penso que é um momento que enche de orgulho o nosso pequeno mercado, e que trabalhar bem traz benefícios!


MUITOS PARABÉNS MÁRIO, e claro, estendidos à EQUIPA DA KINGPIN BOOKS!
Vocês Merecem! 

:)

Já agora, foi o Mário Freitas que fez o logo que este blogue usa há muitos anos ;)

Boas leituras


Deixa o teu comentário

quinta-feira, 20 de abril de 2017

Lançamento ASA: Airborne 44



No final deste mês, dia 28, a ASA vai publicar a colecção Airborne 44 na íntegra, com a distribuição do jornal Público.

Trata-se de uma série ambientada na 2ª Grande Guerra, possuidora de um desenho realista do talentoso belga Philippe Jarbinet.

Podemos contar com uma grande arte acompanhada por uma narrativa gráfica bem coerente e estruturada. Para os fãs deste tipo de BD é um indispensável must have.

Podem ver todas as capas da colecção, assim como ler a sinopse de todos os livros.
Fiquem com o press release da ASA:



O PÚBLICO e a ASA editam, já a partir de 28 de Abril, uma nova colecção de BD, sobre a Segunda Guerra Mundial - «Airborne 44».

«Airborne 44» é uma BD franco-belga, escrita e desenhada com o aconselhamento de um historiador.
São 6 volumes, inéditos em português, onde a realidade e a ficção se misturam e as armas e os sentimentos se cruzam em três ciclos: o Inverno de 1944; antes da Guerra culminar no dia D; e o fim da Guerra.

Junte-se aos Aliados e não perca cada batalha em cada volume!

Uma edição em capa dura, 56 páginas, que os leitores do jornal PÚBLICO poderão adquirir, por 8,90€+preço do jornal.
Enviamos abaixo a data de saída de cada álbum:


AUTOR
PHILIPPE JARBINET
Argumentista / Desenhador

Nascido em 1965 na Bélgica, Philippe Jarbinet publica o seu primeiro álbum em 1992 nas Éditions Blanco. Trata-se de Sandy Eastern, com argumento de Franz.
Três anos mais tarde regressa à banda desenhada, assinando o argumento e os desenhos do primeiro volume de Mémoire de Cendres, publicado nas Éditions Glénat. Desta série serão publicados dez volumes entre 1995 e 2007.

Depois de ter colaborado no policial colectivo Une Folie Très Ordinaire, imaginado por Christian Godard, escreve e desenha a partir de 2003 os três episódios de Sam Bracken, sempre nas Éditions Glénat.

Com a sua chegada à Casterman, em 2009, muda de registo e de técnica.
Os álbuns Airborne 44, com texto e desenhos de sua autoria, são realizados em cor directa. Funcionando em dípticos, trata-se de histórias de guerra baseadas em dramas humanos. O sucesso é imediato e transporta Jarbinet para o primeiro plano do panorama dos grandes autores realistas.

Rigoroso, tanto no texto como no desenho, de que assegura igualmente a cor, Philippe Jarbinet perpetua com talento a banda desenhada realista clássica, não sem lhe trazer uma nota própria de modernidade.
Paralelamente ao seu trabalho como autor, Philippe Jarbinet é professor de desenho e de banda desenhada na Academia René Defossez, em Spa, na Bélgica




Sinopses
1 – ONDE OS HOMENS CAEM
No dia 12 de Junho de 1944, quando o fumo se dissipou naquela casinha de Carentan, compreendi aquilo em que me tinha tornado, aquilo que eu era realmente: um assassino.
A 16 de Dezembro o destino deu-me a escolher entre redimir-me ou deixar-me apanhar…

2 – O AMANHÃ SERÁ SEM NÓS
Tenho dores… Tenho frio… Tenho a boca a saber a sangue… Ouço vozes em meu redor…
Ao longe…
Muito ao longe…

3 – OMAHA BEACH
6 de Junho de 1944. Alvorada. Não reconheço a praia onde outrora vivi momentos mágicos…
Fogo, barulho, fumo, morte! Estou às portas do Inferno.
Mas o pior ainda está para vir…

4 – DESTINOS CRUZADOS
Caminho numa guerra que tudo reduz a pó: os homens, as mulheres, as crianças, as paisagens…
Nada, nem ninguém, lhe escapa…
Até as minhas memórias parecem querer morrer…
Caminho numa guerra negra, mas conservo a esperança de que haja no fim…
…uma luz!

5 – SE É PRECISO SOBREVIVER
O crash bolsista de 1929 e o Dust Bowl atiraram-nos para as ruas. Tendo como única riqueza a nossa juventude, nós não éramos senão migrantes sem raízes, sem trabalho e sem futuro.
Ignorávamos que, para salvar a nossa pele, iríamos ter de a pôr em risco…

6 – O INVERNO DAS ARMAS
A guerra depositou-nos num buraco perdido, entre a neve e o frio, a dor e a morte.
A orla da floresta era uma fronteira que se abria para o desconhecido, e nós atravessávamo-la todos os dias e todas as noites.
De cada um dos lados vivia-se e morria-se no medo e na desilusão. Mas havia também, para nos manter, a amizade, o amor e a fraternidade…






Boas leituras



Deixa o teu comentário

Lançamento Dynamite: The Greatest Adventure #1



Bill Willingham faz das suas novamente, depois de Fables volta a suportar uma história com argumento em figuras já bastante conhecidas da cultura pop, como Tarzan, Korak, John Carter ou Dejah Thoris.

Com o desenho de Cezar Razek, The Greatest Adventure vai-se passar em vários mundos criados por Edgar Rice Burroughs, tudo interligado quando a personagem Jason Gridley por acaso descobre acidentalmente a rádio frequência que permite transmissões entre a Terra, Barsoom (Marte) e Pellucidar (interior da Terra).
Estamos na era de Tarzan e Jason Gridley vai juntar uma equipa para combater um conjunto de vilões que ameaça o destino de todos estes mundos. O seu capitão é nem mais nem menos que o próprio Tarzan!

A Dynamite é a editora que vai publicar esta série de sci-fi usando todo o mundo de Edgar Rice Burroughs. No final deste post está o trailer que a editora publicitou ontem.








Boas leituras



Deixa o teu comentário

quarta-feira, 19 de abril de 2017

Lançamento Levoir - No Coração das Trevas DC Vol.7
Super-Homem & Apocalipse: Caçador e Presa



When I saw Doomsday alive-- I felt the fear. Did part of me want him to escape? No! That can't be true! I wanted to nail him here-- on Apokalips! Now he's gone... but where? And what if he's on Earth?
-- Superman


Mais uma edição, mais um vilão!

Originalmente publicado em 1994 pela DC (claro) com
Dan Jurgens no argumento e Brett Breeding no desenho.
Desta vez o "mauzão" de serviço é um peso pesado: Apocalipse (Doomsday), o ser que matou Superman uns tempos antes.
Este arco conta como após um sonho o Superman resolve ir atrás do ser de destruição que o matou levando-o até Apokolips onde habita o grande vilão Darkseid...

Ficamos ainda a saber as origens de Apocalipse.

Sinceramente, mas muito sinceramente, eu gostaria mesmo que tivesse saído nesta colecção A
Morte do Super-Homem e Funeral para um Amigo logo de seguida. Penso que seria mais lógico e mais histórico dentro da mitologia deste super-herói.

Fiquem com o apontamento da editora Levoir relativamente a esta edição.




Super-Homem & Apocalipse:
Caçador e Presa

Para juntar à lista de vilões do universo da DC que a Levoir e o Público têm vindo a apresentar, esta semana temos mais um, Apocalipse, um dos mais temíveis vilões do Universo DC, que se tornou conhecido por ter sido o responsável pela morte de Super-Homem.

Para quem ainda não o conhece, Apocalipse é uma das criaturas mais perigosas do Universo, ele é irracional, sobrevive em qualquer ambiente hostil e possui uma força física quase ilimitada. O Super-Homem vai ter de percorrer a galáxia para o conseguir caçar, mas à medida que se vai aproximando, descobre que é ele mesmo que se vai tornar em presa.

Do argumentista Dan Jurgens, e com a arte magnífica de Brett Breeding, Super-Homem & Apocalipse: Caçador e Presa é o sétimo volume da Colecção No Coração das Trevas DC que vai para a banca a 20 de Abril.





Boas leituras



 
Deixa o teu comentário

terça-feira, 18 de abril de 2017

Lançamento Arte de Autor: O Rei Macaco



Outra proposta da editora Arte de Autor é o Rei Macaco um dos primeiros livros de Milo Manara, cuja primeira edição é de 1976 (Itália), e que conta com o argumento de Silverio Pisu baseado no clássico da literatura chinesa "Jornada para o Oeste" de Wu Ch’êng-ên.

Uma alegórica viagem mística, com forte sátira social, nesta nova edição de BD em português. Fiquem com a nota de imprensa da Arte de Autor:


O Rei Macaco

Baseando-se em Jornada para o Oeste, um dos grandes textos clássicos da literatura chinesa, Silverio Pisu e Milo Manara recriam nesta obra as aventuras do Rei Macaco, transformando-o simultaneamente numa aventura épica e numa referência clara ao contexto sócio-político da China dos anos setenta.

Nascido da fecundação de uma rocha pelas essências puras da terra, o Jovem Macaco, farto da idílica felicidade do seu reino, em breve abandona o seu povo em busca da imortalidade. Autoritário, sedutor e ambicioso, troça de deuses e de reis para atingir os seus objectivos.

Marco incontorável na história da banda desenhada, esta é uma das primeiras obras de Milo Manara.

IMAGINAÇÃO E EROTISMO NUMA METÁFORA SOBRE A DIGNIDADE HUMANA

Álbum inédito em Portugal

• Argumento: Silverio Pisu
• Desenho: Milo Manara
• Edição: Cartonada
• Número de páginas: 88
• Impressão: preto e branco
• Formato: 210 x 285 mm
• Editor: Arte de Autor
• ISBN: 978-989-99674-4-1
• PVP: 19,95€


Autor
Milo Manara nasceu em Itália em 1945 e é um dos grandes nomes da 9ª Arte. Publicou a sua primeira banda desenhada quando estudava arquitectura em Veneza, a cidade de Hugo Pratt. É pricisamente com Pratt que acabaria por trabalhar em 1983 em Verão Índio e, mais tarde, em El Gaucho.
Assina a solo o argumento e o desenho de obras como a série Clic ou obras como O Perfume do Invisível, tendo igualmente colaborado com outros argumentistas, como aconteceu na série sobre os Borgia que desenvolveu em parceria com Jodorowsky.
Manara trabalhou ainda para grandes editoras norte-americanas como a Marvel e a DC Comics.







Boas leituras




Deixa o teu comentário

quarta-feira, 12 de abril de 2017

Lançamento Arte de Autor: Druuna 1



Mais um grande lançamento da Arte de Autor, bem pelo menos a meu gosto. Parece que o nosso mercado está mesmo com um BOOM de grandes edições, espero que assim continue, e sinceramente Druuna merecia uma edição em condições em Portugal.

Depois de um início falhado pela Meribéria no finais dos anos 80, já no seu período de queda, em que os dois primeiros livros da série tiveram uma edição muito pobre, em que nem o tamanho dos dois volumes era igual, a Arte de Autor pegou na série editando numa excelente publicação os dois primeiros volumes: Morbus Gravis e Delta.

São 160 páginas de Druuna neste livro, em que belas e voluptuosas personagens de ambos os sexos, incluindo mutações transsexuais, se aliam numa boa história de ficção-científica erótica, com laivos de terror.

O contraste entre as criaturas horrorosas, devido a uma espécie de peste e os humanos "limpos", fazem os nossos olhos caírem sempre na beleza do corpo humano (masculino/ feminino) e acompanharem página após página o traço de Serpieri, procurando saber como acabará esta pretensa guerra entre mutações horríveis e os humanos livres da horrível doença.

Druuna tenta encobrir o seu namorado (ele está contaminado) da polícia e prostitui-se para obter o "soro", substância que fazia retroceder as mutações das pessoas contaminadas... mas o nível de mutação do seu namorado Shastar já era tão elevado, que a regressão não era total. Numa das suas visitas ao médico que distribuía o "soro", conhece um ser híbrido: O Mutante. A partir daqui tudo quanto era certo passa a não ser, a história tem voltas de que o leitor não está à espera, com um Shastar sempre presente, mas não visível e uma Druuna cada vez mais assustada ao perceber, na realidade, onde vivia e o porquê daquela situação! 

Druuna, uma delícia visual de um mestre do fumetti, com imagens de carga muito erótica. Um ícone da BD mundial a ser editado em Portugal!

Fiquem com o press release da editora Arte de Autor:


DRUUNA – TOMO 1
MORBUS GRAVIS | DELTA

ÁLBUM DUPLO que contem as histórias Morbus Gravis e Delta e um dossier com ilustrações inéditas.

Um trabalho de referência a ser redescoberto

Num futuro pós-apocalíptico, um perigoso vírus transforma os homens em monstruosos mutantes sanguinários . Só o soro permite aos sobreviventes escaparem. Neste mundo corrompido pelo sexo, a doença e a violência, a jovem e bela Druuna parte em busca deste remédio para Schastar, gravemente atingido, por quem nutre uma paixão. Tão destemida como sensual, ela, vai usar todos os seus atributos para atingir o seu fim...

Druuna, série de referência da banda desenhada erótica dos anos oitenta foi originalmente publicada em 8 volumes. Este álbum reúne os primeiros 2 episódios da saga, onde redescobrimos o trabalho de um de mestres da Banda desenhada italiana: Serpieri, cujo talento e fascínio pelas mulheres se equipara a Milo Manara.

FICÇÃO CIENTÍFICA, TERROR E EROTISMO: UMA COMBINAÇÃO EXPLOSIVA PARA UMA OBRA-PRIMA DA BANDA DESENHADA RESERVADA A ADULTOS.


Argumento e Desenho: Paolo E. Serpieri
Edição: Cartonada
Número de páginas: 160
Impressão: cores
Formato: 21 x 28,5 cm
Editor: Arte de Autor
ISBN: 978-989-99674-5-8
PVP: 21,00€


Paolo Eleuteri Serpieri
Paolo Eleuteri Serpieri, nasceu em Veneza, em 1944.
Começa a sua carreira profissional como pintor em 1966, antes de se virar para a banda desenhada, o que acontece em 1975. Grande apaixonado por Westerns, co-escreve L'Histoire du Far-West, série sobre o oeste americano com argumento de Raffaele Ambrosio, a qual é publicada em França pelas edições Larousse.
A partir de 1980 trabalha para diferentes projectos, tais como Découvrir la Bible (também para a Larousse), e numa série de histórias curtas para diferentes revistas.
Em 1985 cria a série “Druuna”, a qual foi originalmente publicada entre 1985 e 2003.
Serpieri trabalhou igualmente no design do jogo de vídeo Druuna : Morbus Gravis, baseado na sua famosa heroína.
Pintor, músico, escultor, e professor no Instituto de Artes de Roma, Serpieri prepara neste momento mais um álbum de Druuna.

De notar que esta editora editou uma prequela de Druuna no final do ano passado. Têm aqui o link:
Anima: Druuna - As Origens





Boas leituras



Deixa o teu comentário

Ilustração: Harley Quinn Comic Collage



Uma colagem usando apenas vinhetas oriundas de comics do Batman, com Harley Quinn desenhada por Bruce Timm, o seu autor original.
O autor desta colagem usou apenas comics antigos e cola, transformando depois para giclee.


O livro do post anterior é relativo a este autor, e se o quiserem conhecer melhor é só clicarem neste link:
Autores: Bruce Timm
Atenção que existem imagens com Parental Advisory / Explicit Content nesse post

Boas leituras
Deixa o teu comentário

terça-feira, 11 de abril de 2017

Lançamento Levoir - No Coração das Trevas DC Vol.6
Joker & Harley Quinn: Amor Louco



Vai sair na próxima 5ª Feira um dos livros que eu mais queria ter dentro do universo Joker/Harley Quinn: Amor Louco (Mad Love)

Nunca consegui comprar este livro devido aos preços proibitivos a que se encontrava no mercado norte-americano devido a se encontrar esgotado há muito. Assim fiz um rasgado sorriso quando vi que estava englobado nesta excelente colecção da Levoir: No Coração das Trevas DC.

Fiquem com o press release da Levoir e algumas imagens do livro.



Joker & Harley Quinn: Amor Louco

No sexto volume da colecção No Coração das Trevas DC vamos conhecer um amor... louco. Joker & Harley Quinn: Amor Louco, conta a história de Harley, uma antiga psiquiatra que trabalhava no Asilo Arkham, onde o Joker foi seu paciente. Habilmente, ele consegue manipulá-la emocionalmente e fazer com que ela se apaixone por ele, levando-a a ajudá-lo nos seus planos malignos, ganhando assim um novo aliado na luta sem fim que o opõe a Batman.

O argumentista e produtor televisivo Paul Dini, e o ilustrador Bruce Timm, criadores da série televisiva Batman Adventures - onde Harley Quinn se estreou - assinam esta história, que transpõe para o papel a sua famosa história animada, e outras duas histórias incluídas neste volume, que traz o Batman do mundo dos desenhos animados para a BD.

Em 1994, Amor Louco recebeu um prémio Eisner, sendo considerada a Melhor História desse ano. Também Frank Miller a considerou como uma das melhores histórias do Batman que já leu.













Boas leituras






Deixa o teu comentário

segunda-feira, 10 de abril de 2017

Anicomics Lisboa: Homenagem do LBD



Li a notícia ontem e caiu assim de chofre, aparentemente sem reflexão, logo após o término deste último evento (Domingo): o Anicomics acabou.
Basicamente posso imaginar o porquê desta decisão do Mário Freitas, argumentista, editor, logista e organizador destes Anicomics. Com certeza a decisão já deveria estar amadurecida e apenas precisava de terminar o seu 8º evento para veicular a notícia nas redes sociais.

Como disse atrás posso imaginar o porquê, mas não vou dar palpites. Quando, ou se o Mário Freitas decidir fazê-lo, ele próprio o fará com certeza e com a frontalidade que se lhe reconhece.

Assim ficará bastante mais livre para se dedicar à edição, neste momento com a Kingpin embalada para bater recordes de livros a editar por ano. Me gusta!

Relativamente ao evento em si, tem uma história de 8 anos de luta para se superar todos os anos, e de todas as edições apenas não fui ao 1º Anicomics.
No início localizado na Biblioteca Orlando Ribeiro em Telheiras, cedo se verificou que com o afluxo de visitantes este espaço dava mostras de entrar em rotura, assim nos último dois anos passou para o Fórum de Lisboa, um espaço maior, mais arejado e bem servido de transportes.

Como o nome indica a sua filosofia inicial foi fazer uma ponte entre os comics norte-americanos e o anime/manga oriental, mas em abono da verdade este evento foi "tomado" pela legião de fãs de anime, manga e video-jogos.

O Mário Freitas bem tentou inicialmente fazer algo em relação aos comics trazendo artistas estrangeiros de qualidade para tentar puxar o público afecto à BD em Portugal, mas infelizmente os preconceitos deste tipo de visitantes em relação ao cosplay foi impeditivo de tal visto não compreenderem minimamente o que move estes jovens, e devido a esse facto não se sentirem à vontade para se integrarem e circularem neste evento.

As razões para visitarem este evento eram mais que muitas, autores de qualidade, sessões de autógrafos, antevisões, painéis de autores de qualidade, venda de livros e merchandise, workshops direccionados para a BD, etc... isto sempre com plateias muito abaixo do esperado por falta dos amantes da BD em geral, e dos comics em particular.


Mas felizmente para o Mário, o número de visitantes que foi perdendo neste campo, ganhou-os no cosplay e derivados, como os workshops de costura, maquilhagem, etc.
Mas mesmo assim nunca perdeu o fito de mostrar o que se faz e edita de melhor na BD em Portugal, como o provam a quantidade de painéis em que passaram grande parte dos artistas portugueses.

Mas como o Anicomics é um evento privado que tem que se pagar a si mesmo e dar algum lucro, apostou forte em concursos de cosplay e merchandise apelativo a este público, conseguindo cimentar o Anicomics como um lugar muito simpático para os/as cosplayers, em que se podia, mostrar sem grande atropelo, dando-lhes um bom lugar de destaque no evento.


Infelizmente estes dois últimos anos penso que parte dos cosplayers preferiram fazer meets à porta do evento por achar que os bilhetes seriam caros... pelo menos foi uma das queixas que ouvi. Ora... estes eventos têm custos, certo? E já agora, se o Anicomics é caro (dizem) o que dizer do Iberanime um que um bilhete de adulto (mais de 12 anos) custa o dobro?
Neste momento os cosplayers perderam um local privilegiado e que lhes era dedicado.

O Mário Freitas é uma pessoa com ideias, versátil dentro deste universo, com certeza que se reinventará daqui por uns tempos com algo de diferente, como é seu apanágio.


Fica a minha homenagem a este evento de que eu tenho algumas boas memórias com um sortido de fotos desde 2010 até este Sábado.





















E agora dois pequenos filmes que eu fiz com fotos:








Obrigado Mário


Boas leituras
Deixa o teu comentário