quarta-feira, 13 de fevereiro de 2019

Green Lantern: Earth One Vol.1




Quem me conhece sabe que o meu super-herói preferido sempre foi o Lanterna Verde. O seu poder é canalizado pela força de vontade e imaginação, e sinceramente adoro todo este conceito, e é por isso que tenho o take completo de Geoff Johns nesta personagem. Foi ele que redefiniu o herói Hal Jordan e todo o universo do espectro da luz. Pegou na personagem (depois de muito maltratada e quase já esquecida) respeitando todo o mito à volta de Hal Jordan e escreveu do melhor que já se fez na linha DC mainstream. É uma prateleira completa em minha casa! :D

Analisando o que escrevi atrás, e sabendo também que para mim o Green Lantern acabou no último livro que ele escreveu para a personagem, muito dificilmente eu ia ler coisas novas com o herói Hal Jordan. Mas surgiu este livro o ano passado e todas as críticas apontavam para algo bom... então comprei-o.

Arrependimento = 0

Mas antes de continuar e para quem não sabe ou não está por dentro da linha Earth One da DC, gostava de escrever umas linhas sobre a mesma.

Esta linha surgiu por volta de 2010 com vários conceitos interessantes. Uma nova e diferente  aproximação à personagem, com um novo começo e sem ligações a outros heróis que surjam nesta mesma linha. Para além disso o espaço e o tempo são a nossa actualidade, tipo "- E se o Superman aparecesse hoje!? Ou o Batman?" embora o espaço seja específico para cada personagem.
Para além disso a DC tentou que todos os títulos tivessem uma equipa criativa de topo.

Isto foi um esforço editorial para dar um novo começo a possíveis novos leitores, e para os leitores mais antigos, uma nova frescura nas personagens preferidas.
Não conheço números de venda, mas sei que as críticas a esta linha ao longo de quase 10 anos são muito boas.

A linha foi iniciada com o Superman, que vai no 3º volume, depois Batman (2 volumes), Wonder Woman (2 volumes, dos quais o primeiro foi publicado em português pela Levoir), Teen Titans e este meu Green Lantern.

A dupla escolhida foi o casal Corinna Bechko (texto) e Gabriel Hardman (desenho).
Bechko foi a primeira mulher a intervir nesta linha da DC, e a sua queda pela sci fi e terror está bem patente neste livro. Não que o livro seja de terror, mas tem todo um ambiente cósmico negro bem frisado, apenas polvilhado por esmeralda claro está.

Hardman e  Bechko são autores da série Invisible Republic, Angel, Star Wars Legacy (2013) ou Planet of the Apes. Bechko é ainda autora de um episódio para a série TV de sucesso Once Upon a Time: Shadow of the Queen.

Corinna Bechko pegou neste Lanterna radicalmente, desconstruindo todo o mito existente à volta do corpo esmeralda, e criando um novo mundo. Isto são duas coisas difíceis de fazer numa personagem com mais de 50 anos de História. E na minha opinião (fã confesso do mundo esmeralda), conseguiu. Brutalmente.

Não conhecia o trabalho dela, e isto para mim foi um cartão de visita e tanto. Foi a primeiro livro da linha a fugir um pouco à baliza de tudo acontecer no nosso tempo, penso que a acção se passa um pouco mais no futuro, mas não muito, ou então fez-se ficção pura e simplesmente. Mas penso que é um futuro próximo porque ainda se fala da NASA, embora sejam corporações a minerar asteróides no espaço, e corporações a mandar na Terra.

Hal Jordan deixa de ser piloto de aviões para ser um mineiro espacial, o que me pareceu uma excelente escolha, visto que os Lanternas cruzam o espaço. E aqui temos algumas cenas iniciais muito boas de que eu não vou falar. Bem, posso falar em atitudes heróicas por parte da comandante da nave de Hal, assim como da heroicidade deste em compreender a atitude da Comandante e encetar a sua primeira luta espacial com um anel no dedo

Quanto ao mito do anel escolher uma pessoa merecedora de o usar, é completamente desfeito aqui. Todos nós podemos ser heróis neste mundo, ninguém nasce herói, mas as nossas acções podem fazer com que o sejamos. Com ou sem anel.

O anel aqui é  uma ferramenta não muito amigável do seu utilizador, não ajuda o seu portador antes pelo contrário. E claro, todos os que conseguiram arranjar um anel esmeralda podem escolher entre o bem e o mal, não há cá coisas tipo "o escolhido". O anel aqui não voa à procura do próximo portador, simplesmente fica no dedo do morto.

Quanto ao Corpo dos Lanternas Verdes, este está desfeito, alguns anéis foram encontrados nos mundos onde os portadores originais foram mortos, ou seja, temos portadores sem instrução no uso desta ferramenta espalhados pelo universo, e que não trabalham em grupo, aliás a cena do polícia do quadrante XXXX  não existe.

Encontramos algumas caras conhecidas, que nos dão algum conforto na leitura, e outras que nos voltam a arrepiar pela sua falta de emoções...

Bechko fez uma excelente história, uma história de amizade e heroicidade, criou mundos novos muito bem caracterizado ao nível alien das espécies e das paisagens. Toda a construção destes novos mundos foi admiravelmente captada graficamente por Gabriel Hardman.

Gabriel Hardman tem um desenho que se adapta perfeitamente ao ambiente da história. O desenho detalhado, vibrante e cheio de ruído deste desenhador é vestido por Jordan Boyd a negro e esmeralda. Eu adorei!


Não vou comentar mais relativamente à história, não quero fazer spoiler de coisas importantes.
Mas garanto-vos que estão perante o primeiro conceito alternativo do universo dos Green Lanterns digno desse nome, e para mim um começo à séria da personagem. Espero pelo segundo, isto era aquilo que eu queria depois do último livro de Geoff Johns (Green Lantern: The End), que para mim foi tão bom que fiquei mesmo por ali.

Podem clicar na label seguinte se quiserem saber mais do que este fã escreveu sobre o mundo esmeralda:

Green Lantern

O Leituras de BD recomenda vivamente este livro!



Boas leituras







Deixa o teu comentário

quinta-feira, 7 de fevereiro de 2019

Southern Bastards Vol.4: Tê-los no Sítio



Este redneck thriller, a que o autor chama de southern fried crime comic, continua!
Provavelmente alguns pormenores me escapam nesta novela crua e dura, passada numa pequena vila do interior sulista dos EUA. Os autores são do sul, e abordam-no em todas as suas especificidades que só os verdadeiros conhecedores da região são capazes de captar.

Mas com o rolar dos livros conseguimos entrar perfeitamente no espírito e apercebemos-nos da complexidade e profundidade desta região raramente vista no mundo dos comics.
E isto é-nos mostrado por uma máfia sulista escondida através do futebol praticado na escola, com um treinador que não é mais que um Kingpin do crime.

E sinceramente depois de quatro livros de uma história poderosa de Jason Aaron, pode-se dizer que o traço e as cores de Jason Latour dão uma personalidade enorme a estes livros. A força e paixão com que Latour impregna Southern Bastards só pode ser mesmo de alguém que vive com força o Sul dos EUA. É uma mais-valia enorme para toda a história.

Como disse quando dei a minha opinião sobre o 1º Volume, Southern Bastards Vol.1 - Aqui Jaz um Homem, as cores base do livro dão-nos conforto na leitura pois estão muito coerentes sobretudo nos planos exteriores, laranjas, castanhos alaranjados, cor de tijolo, magentas, e bastantes mudanças para o quadrante dos vermelhos para frisar a violência. Isto faz com que o leitor se identifique bastante com o clima que impera, tanto paisagístico, como em cenas de acção.

Depois do primeiro volume, podem ler a minha opinião se clicarem no link em cima, que nos dá a imagem brutal do espaço e dos actores deste filme, de um segundo volume que nos mostra a backstory do brutal Coach Boss, e de um terceiro volume que serviu para aprofundar várias personagens numa antologia de vários capítulos, este volume 4 traz-nos a chegada há muito aguardada da filha de Earl Tubb, Roberta Tubb, uma carta fora do baralho em Craw County a entrar em grande e de metralhadora em punho!

E Euless Coach Boss, está em mais lençóis... desde que a sua equipa foi derrotada que nada passa a ser a mesma coisa, desde rivais a fanáticos religiosos, passando por alguém que procura avidamente vingança. Craw County nunca mais será a mesma!


O Leituras de BD recomenda vivamente esta série da G.Floy!

Aqui em baixo têm o press release da G.Floy relativo a este livro:

SOUTHERN BASTARDS Volume QUATRO: TÊ-LOS NO SÍTIO
Argumento de JASON AARON e arte de JASON LATOUR e CHRIS BRUNNER

O final do grande arco de história inicial de SOUTHERN BASTARDS, com o regresso ao Condado de Crawford de Roberta Tubb, a filha de Earl Tubb, e o seu primeiro grande confronto com o Coach Boss!


A aclamada série “frita à moda do Sul” regressa para mais uma grande noite de desporto! O Coach Boss só consegue mandar no Condado de Craw com mão de ferro por uma razão apenas: ganha jogos de futebol. Mas depois da maior e mais terrível das derrotas da sua carreira, Euless Boss tem de se tornar num criminoso ainda mais empedernido se quer poder sobreviver ao ataque dos seus inimigos.

Inimigos como Roberta Tubb, que chegou à cidade de Kalashnikov em punho à procura de respostas à séria sobre a morte do seu pai.


Tudo se encaminha para um primeiro desfecho, uma primeira resolução dos conflitos que assolam esta pequena cidade americana, um momento final em que todos os lados desta batalha se vão finalmente definir. E no meio de toda a confusão é que se vai ver quem é que os tem mesmo no sítio!


Southern Bastards é a aclamada criação de Jason AARON e do desenhador Jason LATOUR (acompanhados neste volume por Chris BRUNNER), uma saga que nos mergulha no Sul dos Estados Unidos, na sua cultura violenta e dividida, um thriller de que ninguém sairá incólume.

“Com a extraodinária caracterização das suas personagens, e a sua arte rude e directa, Southern Bastards é uma série absolutamente obrigatória, e este volume é bem capaz de ser o melhor até agora."
NEWSaRAMA

Prémio EISNER para Melhor SÉRIE EM CONTINUAÇÃO (2016)
Prémio HARVEY para Melhor NOVA SÉRIE (2015)
Prémio EISNER para MELHOR ESCRITOR: Jason AARON (2016)
Prémio REUBEN para COMIC ART da national Cartoonists Society Jason LATOUR (2017)

Reúne os números #15-20 de Southern Bastards

Southern Bastards volume 4: Tê-los no Sítio
Argumento de Jason Aaron e arte de Jason Latour
(arte de Chris Brunner e argumento de Jason Latour no #18)


168 páginas, cor, capa dura.
ISBN 978-84-16510-88-7
PVP: 16€



Boas leituras
Deixa o teu comentário

quarta-feira, 6 de fevereiro de 2019

Lançamento Gailivro: Aventura de Zé Leitão e Maria Cavalinho Vol.12
O Monstro Marinho Ocre




Ultimamente não tem aparecido Bd Infanto-Juvenil. É uma triste verdade!
A Gailivro (LeYa) publica neste início de ano a 12ª aventura colorida (desta vez é ocre) do Zé leitão, fiquem então com a nota de imprensa deste livro :

O Monstro Marinho Ocre
de Pedro Leitão chega esta semana às livrarias

Sinopse

Filipe Cavalinho Leitão e os seus pais, Zé Leitão e Maria Cavalinho, estão na praia quando ouvem uma linda melodia. De onde vem e quem está a cantar? Juntamente com Teófilo Tenazes, o caranguejo-eremita com quem travaram amizade na praia, partem numa viagem para descobrir a origem do canto que já se ouve há semanas.

Nesta nova aventura, a família Cavalinho Leitão irá assistir a um nascimento, conhecer amigos fantásticos e rever alguns de longa data.

Sobre o autor

Pedro Leitão (n. Luanda, 1965) licenciou-se em Pintura pela Faculdade de Belas-Artes, da UL em 1993. Realizou exposições individuais de pintura, mas é à ilustração e à banda desenhada que se tem dedicado. Foi colaborador da revista infantil Rua Sésamo e tem editados, desde 1997, diversos livros para crianças, muitos com texto de Luísa Ducla Soares. Como autor de BD, iniciou, em 2004, a coleção As Aventuras de Zé Leitão e Maria Cavalinho, na editora Gailivro, onde publica agora já o décimo segundo título. Complementando o seu trabalho de autor de BD, realiza regularmente, em escolas e bibliotecas públicas, sessões de Animação à Leitura. Colabora também, desde 1995, com o dramaturgo e ator Paulo Lages, na criação e representação de espetáculos de Teatro com Livro e Leitura.

Ficha do Livro:
Título: O Monstro Marinho Ocre
Nº págs: 48
ISBN: 978-989-23-4389-1
PVP C/ IVA: 9,90€



Boas leituras
Deixa o teu comentário

terça-feira, 5 de fevereiro de 2019

Lançamento Levoir: Y – O Último Homem Vol.7
Bonecas de Papel



A Levoir vai publicar mais dois volumes da excelente série Y - O Último Homem. Este mês saem o Vol.7 e o Vol.8, ficando os dois últimos para o segundo semestre deste ano.

Podem saber a minha opinião sobre este mundo sem homens neste link: Y: The Last Man

A Levoir tem publicado ao longo do tempo esta colecção em livros de capa dura, e ao contrário do normal das suas colecções de comics, esta a colecção não saiu toda de uma vez. Não sei se será uma experiência da Levoir, ou apenas contingências editoriais.

Os livros publicado até agora:

  1. Y – O Último Homem: Um Mundo sem Homens
  2. Y – O Último Homem: Ciclos
  3. Y – O Último Homem: Um Pequeno Passo
  4. Y – O Último Homem: A Senha
  5. Y – O Último Homem: O Anel da verdade
  6. Y – O Último Homem: Entre Mulheres

Para já, está aqui a informação e muitas imagens fornecidas por parte da editora para o Vol.7:

Y – O Último Homem Vol.7
Bonecas de Papel

Na continuação da saga Y – O Último Homem, a Levoir e o Público publicam já em Fevereiro os volumes 7 e 8 e os restantes no segundo semestre.

O texto é de Brian K. Vaughan, criador da série, desenhos de Pia Guerra e Goran Sudzuka e artes finais de José Marzán Jr.

Em “Bonecas de Papel”, título do 7º volume da colecção, o jovem Brown chega finalmente à Austrália, país onde a sua namorada Beth, está perdida desde a praga que matou todos os homens há mais de três anos. Mas esta partiu para Paris à procura dele.

Yorick, a Agente 355 e a bioquímica Allison Mann continuam à procura de Ampersand - o outro mamífero do sexo masculino sobrevivente e peça-chave para uma possível cura para a praga. O macaco foi sequestrado por uma misteriosa ninja e o seu rasto vai até o Japão.

A repórter de um jornal sensacionalista investiga sobre a sobrevivência de algum homem à praga. Até agora, tudo se resume a uma grande colecção de boatos, até que ela consegue descobrir Yorick obrigando-o a despir-se e fazendo-lhe fotos que publica. Temendo que a divulgação dessa notícia atraia a atenção e gere muitos conflitos e problemas, a agente 355 caça a repórter, procurando destruir a fotografia custe o que custar.


Mais uma vez Brian K. Vaughan põe o leitor a questionar-se. Qual é a extensão do poder da imprensa? Quais os reais interesses por trás da publicação de uma notícia? A verdade deve sempre vir a público ou há situações em que é melhor manter o sigilo? A necessidade justifica a censura?

A história não propõe nenhuma resposta, apenas inspira as perguntas. E a resolução para o problema das fotos de Yorick é tão simples quanto surpreendente.

O nível constante de qualidade dos textos e desenhos fazem de Y – O Último Homem uma das melhores séries publicadas tendo ganho 3 Prémios Eisner.


Características vol. 7
Tradução – Paulo Furtado
Preço – 12,90€
Capa dura
Cor
Nº de páginas – 144
Formato – 170 x257 mm



Boas leituras






Deixa o teu comentário

segunda-feira, 4 de fevereiro de 2019

Wolverine - Arma X Vol.1: Os Homens de Adamantium




Início de uma série de três livros auto-conclusivos, editados em Portugal pela G.Floy em Novembro do ano passado.
Falando um pouco livro como objecto, é uma excelente edição, a G.floy apostou num excelente formato para os seus livros, ou seja, um grande formato em capa dura (o deluxe norte-americano).
Mim gosta :D

Este livro Arma X: Os Homens de Adamantium, é um revisitar de Jason Aaron às raízes do Wolverine. Não é nova esta aproximação à personagem, mas consegue ser interessante, com uma boa história livre das amarras da cronologia da série Wolverine "oficial" ligada ao universo Marvel.

Aaron aproveitou para apresentar uma história bem violenta, a fazer ao jus ao temperamental baixinho, com muita acção, muitos banhos de sangue e alguns globos oculares pendurados.
Os diálogos estão muito bons, assim como todo o storytelling que embora rápido pausa quando deve haver pausa não deixando o leitor "ofegante". Uma história para apreciadores do old school Wolverine, um pouco sanguinolenta mas com aquele charme especial...
Um excelente trabalho de Jason Aaron na minha opinião.


Quanto à arte, os lápis são de Ron Garney e as cores de Jason Keith.
Eu não sou um grande apreciador de Garney, mas confesso que ele neste livro tem alguns momentos bastante bons. No geral uma arte sólida e bem entrelaçada com as cores de Jason Keith.

A história vai levar Wolverine a entrar em choque violento com uma organização de segurança privada, a Blackguard, que teve acesso aos ficheiros originais da Arma X, e está a fabricar super-soldados com o auxílio desses mesmos ficheiros, misturando-os com tecnologia actual.

Um redefinir de Logan às suas raízes, depois de tantas transformações que a Marvel obrigou o baixinho a fazer para "caber" dentro das histórias da cronologia mainstream e agradar à maioria dos leitores, alargando a idade do público alvo para alavancar vendas.
Este é o Wolverine para apreciadores :)


Capa variante de Marko Djurdjevic


Espero pelo volume dois.

Boas leituras




Deixa o teu comentário

sexta-feira, 1 de fevereiro de 2019

Este Mês na Bedeteca de Beja - Fevereiro 2019




A Bedeteca de Beja inicia a actividade este ano com uma série de exposições e ateliês.
Este mês tem exposições para todos os gostos, e uma delas eu gostaria muito de visitar pela diversidade e enorme qualidade dos artistas envolvidos: "Desenhos da Bedeteca".


Então fiquem com o programa completo:


FEVEREIRO NA BEDETECA



EXPOSIÇÕES







Até 6 de abril
MATERIAL POÉTICO
Exposição de Banda Desenhada de Evandro Alves.


















De 16 de fevereiro a 30 de abril
HUMBERTO DELGADO - O GENERAL SEM MEDO
Exposição de Banda Desenhada de José Ruy.
Inauguração dia 16, sábado, às 18h30, com a presença do autor.
















De 16 de fevereiro a 30 de abril
RETRATOS, FADAS E POESIA - RELEITURAS DA OBRA DE SOPHIA
Exposição de Desenho de Ricardo Jorge.
Inaugura dia 16, sábado, às 18h30, com a presença do autor.



















De 16 de fevereiro a 30 de Abril
O MUNDO DE SEMPÉ
Exposição de Banda Desenhada e Cartune.
De 16 de fevereiro a 30 de abril

















DESENHOS DA BEDETECA
Exposição de dedicatórias dirigidas à Bedeteca.
Com Dave McKean, Hermann, Jean-Claude Mézières, Loustal e outros artistas.















Até 8 de fevereiro
MOSTRA DE FANZINES
Exposição Bibliográfica
















Até 8 de fevereiro
NOSSA SENHORA FLOR ETERNA - ÍCONES DA MOLDÁVIA
Exposição de Bordado de Angela Machidon



















Até 13 de fevereiro
A PERSONAGEM INCOMPLETA
Exposição de Ilustração de João Laia.


















Até 13 de fevereiro
PARTE, POR FAVOR - Bilhetes de amor e outras coisas vulgares
Exposição de Desenho e Ilustração de Cristina Viana.












ATELIÊS

BANDA DESENHADA
Com Paulo Monteiro. Quartas-feiras, das 21h30 às 00h00.

DESENHO E PINTURA
Com Isa Carolina. Terças e quintas-feiras, das 15h00 às 18h00.

ILUSTRAÇÃO
Com Paulo Monteiro. Quartas-feiras, das 21h30 às 00h00.

JOGOS DE TABULEIRO
Com Pedro Felício. Sábados, das 14h00 às 20h00.

MODELISMO ESTÁTICO
Com Simão Matos e João Calado. Sábados, das 14h30 às 17h30.



OUTROS SERVIÇOS

CEDÊNCIA DE ESPAÇOS PARA ATIVIDADES
Apoio e cedência de espaços, a escolas e outras instituições, para a realização de reuniões e eventos na área da banda desenhada ou da ilustração.

APOIO A ALUNOS E PROFESSORES, NA BEDETECA DE BEJA
Apoio a alunos e professores para a realização de exposições ou outros projetos específicos na área da banda desenhada e ilustração.



CONTACTOS E HORÁRIOS

BEDETECA DE BEJA
Edifício da Casa da Cultura
Rua Luís de Camões
7800-508 Beja
Telefone: 284 313 318
Telemóvel: 969 660 234
Facebook: bedeteca de beja - comics’ library of beja
E-mail: bedeteca@cm-beja.pt
Horário: segundas, terças, quintas e sextas, das 9h00 às 12h30 e das 14h00 às 17h30. Quartas das 9h00 às 12h30, das 14h00 às 17h30 e das 21h00 às 00h00. Encerra aos fins-de-semana e feriados.



Boas leituras





Deixa o teu comentário

quarta-feira, 30 de janeiro de 2019

Lançamento Arte de Autor: Caravaggio 2ª Parte - O Indulto




E 3 anos depois, cá está a tão aguardada obra de Milo Manara.
Contrariando a vozes que diziam que Manara já estava muito velho, e que este volume nunca iria sair, aqui está ele novamente pela mão da editora Arte de Autor.

É o segundo volume, e penso que último, de Caravaggio de que eu tive o enorme prazer de apresentar no Museu Lisboa - Palácio Pimenta o primeiro volume, O Pincel e a Espada.

Fiquem com a informação da Arte de Autor sobre este último livro saído do génio que é Milo Manara:


CARAVAGGIO – O INDULTO

Michelangelo Merisi da Caravaggio (1571-1610)
Susceptível, impetuoso, hedionista e brigão, impor-se-á como um dos grandes pintores da história de Arte, esculpindo trevas e luz com o seu pincel para criar obras inesquecíveis, de um realismo perturbador.
Quatro séculos depois, um outro génio italiano do desenho, Milo Manara, presta-lhe homenagem numa banda desenhada em dois volumes que fará história.

Argumento e Desenho: Milo Manara
Edição: Cartonada
Número de páginas: 56
Formato: 240 x 320 mm
Impressão: cores
Data de Edição: Janeiro de 2019
ISBN: 978-989-99936-8-6
PVP: 19,00€

Milo Manara
Nasceu em Itália em 1945 e é um dos grandes nomes da 9ªArte.
Publicou a sua primeira banda desenhada quando estudava arquitectura em Veneza, a cidade de Hugo Pratt.
É precisamente com Pratt que acabaria por trabalhar em 1983 em Verão Índio e, mais tarde, em El Gaucho.
Assina a solo o argumento e o desenho de obras como a série “Clic” ou obras como “O Perfume do Invisível”, tendo igualmente colaborado com outros argumentistas, como aconteceu na série sobre os “Borgia” que desenvolveu em parceria com Jodorowsky.
Manara trabalhou ainda para grandes editoras norte-americanas como a Marvel e a DC Comics.
Caravaggio é a sua mais recente criação, desta feita consagrada à figura do genial pintor e à Itália do Renascimento.



Podem saber mais sobre Caravaggio – 1ª parte: O Pincel e a Espada clicando no link.


Boas leituras



Deixa o teu comentário

terça-feira, 29 de janeiro de 2019

Porque me apetece... (VIII): Mudança do Director do Amadora BD



Isto faz-me parecer um pouco quando as pessoas falam de alguém que faleceu, e que embora em vida tenha feito asneira que fervia, depois no cemitério toda a gente diz "- Ai... era tão bom rapazinho... um pouco inquieto talvez, mas com um coração de ouro!". Claro que esta imagem não é para ser literal, não desejo a morte nem nada que se pareça ao Nelson Dona (tenho de escrever este aparte para que as pessoas não digam que eu desejei a morte ao homem...), estou a falar exclusivamente das suas competências profissionais.

Já algumas pessoas ligadas a este meio da BD, veio fazer a homenagem ao ex. Director do Festival pelos anos que deu da sua vida ao Amadora BD / FIBDA.

Não lhe vou fazer homenagem nenhuma, antes pelo contrário.
Trouxe muitos artistas ao evento no passado? Nem por isso... eram os editores que contactavam com os artistas, aliás bastou a ASA mudar de mãos que o Amadora BD deixou de ter artistas de BD franco-belga no festival! Todos os outros artistas (com algum nome) vieram quase sempre de editoras, ou pelas editoras. Eu vi ao vivo a capacidade de trabalho dele em Angoulême... era a Mª José Pereira da ASA na altura que fazia os contactos!

Depois... não ouvia ninguém, não ouvia críticas, todos os actores nesse festival (livreiros, editores e artistas) diziam o que não estava bem, como deveria ser feito a contento de todos, e ele não mudava uma tabuinha de madeira sequer, embora abanasse a cabeça a dizer que sim com um sorriso.

E depois mentia. Sim mentia para não o chatearem. Lembro-me de um Amadora BD (ou FIBDA) em que houve uma palestra surpresa num auditório, em que alguns dos intervenientes no festival (já cansados de tanta incompetência) falaram para uma sala cheia de fãs da BD sobre os defeitos, lacunas e surdez desta organização.

Alguém informou o Nelson Dona desta palestra, aparecendo então para falar. Como de costume disse que percebia perfeitamente os anseios destas pessoas, e prometeu que 15 dias depois do fecho de portas do festival iria reunir com todos. MENTIU descaradamente para uma plateia cheia de gente, já lá vão mais de 10 anos e essa reunião para melhorar o festival nunca aconteceu.

Portanto não posso reconhecer o trabalho do ex. director Nelson Dona, que tornou este festival num monólito gigante, imutável, cheio de bolor e bafio. Os logistas e editores presentes no festival nunca mereceram um director de festival destes, era um director com uma visão muito estreita do mundo da BD.

Como muita gente nos últimos anos, eu apenas ia para ver uns amigos e comprar uns livros. Aliás, já nem fotografias tirava desde há 3 anos porque só se pode tirar fotografias no festival com uma autorização. Como sempre me recusei a pedir uma autorização dessas (completamente estúpida e fora de tempo), deixei de tirar fotos às exposições.

Que o próximo (ou próxima) director(a) se mostre à altura, seja imune a amiguismos, seja renovador(a), inteligente, saiba escutar, e que goste mesmo de BD.

Boas leituras







Deixa o teu comentário

segunda-feira, 28 de janeiro de 2019

Lançamento ASA: Astérix - O Segredo da Poção Mágica
Comemorações de 60 Anos de Astérix



Depois do filme, temos o livro.

Saiu este mês, inserindo-se em uma série de eventos / lançamentos que celebram os 60 anos de Astérix, este livro é a adaptação do filme que estreou em França em Dezembro do ano passado e que está a passar neste momento em Portugal.

Fiquem com a informação da ASA sobre o livro aqui em baixo, e mais abaixo podem ver o programa para "as festas" dos 60 anos :)


ASA BD – Janeiro 2019
Novidade Editorial

ASTÉRIX – O SEGREDO DA POÇÃO MÁGICA nas livrarias a 22 de janeiro

O Álbum do filme homónimo com estreia em Portugal marcada para 10 de janeiro de 2019.

Sinopse
O quê?! Os Gauleses mal podem acreditar! Após ter dado uma queda, Panoramix decide que está na altura de assegurar o futuro da aldeia. Acompanhado por Astérix e Obélix, percorre então o mundo gaulês à procura de um jovem druida talentoso a quem possa transmitir o segredo da poção mágica! Mas o que ele não sabe é que o terrível Enxofrix, seu rival dos tempos da escola de druidas, engendrou um plano maquiavélico para se apoderar da receita da poção mágica. Por Tutatis! Se ele conseguir alcançar os seus objectivos, a aldeia está perdida!

Ficha do Livro:
Título: ASTÉRIX – O SEGREDO DA POÇÃO MÁGICA
Texto: Olivier Gay
Desenhos: Fabrice Tarrin
Colecção : Astérix – Fora de Colecção
Formato: 21,8 x 29 cm
Nº págs.: 48
ISBN : 978-989-23-4396-9



60 Anos de Astérix




Estamos em 1959 d.C.
O argumentista René Goscinny e o desenhador Albert Uderzo estão sob grande pressão. Têm de criar uma série de BD completamente original e baseada na cultura francesa para o primeiro número da revista Pilote, que deverá sair dentro de algumas semanas.
No apartamento de Albert Uderzo, os dois autores dão voltas à cabeça numa sessão de trabalho que acabaria por ficar para a História:
– Diz-me lá quais são os períodos mais marcantes da História de França – começa René.
– Ora bem, temos o período pré-histórico – atira Albert.
– Não, já foi usado – replica o amigo.
– Então que tal a Gália e os Gauleses?
René aproveita imediatamente a deixa e as ideias começam a fluir. “Tudo foi feito e decidido em duas horas”, conta o argumentista.
Foi assim que tiveram início As Aventuras de Astérix, a 29 de Outubro de 1959, no primeiro número da revista Pilote. Rapidamente toda a Gália foi ocupada pelo Romanos, pela poção mágica, pelos trocadilhos e por sibilinas citações latinas. Toda? Sim, toda!


NOTA DO EDITOR
Desde o seu aparecimento em 1959 que Astérix congrega leitores de todos os horizontes e de todas as gerações. Um verdadeiro prodígio que se deve aos seus criadores, o genial René Goscinny e o mestre Albert Uderzo.
Desde há 10 anos que temos o privilégio de ter embarcado nesta aventura editorial única no mundo, e é com enorme prazer que aproveitamos o ensejo deste 60.º aniversário para prestar homenagem a Astérix e ao seu universo.
Para este ano de comemorações, diversos parceiros fizeram questão de se juntar a nós, todos eles movidos por este mesmo entusiasmo que nós próprios partilhamos. Um entusiasmo que advém de recordações de leituras e que é acalentado pelo desejo de acompanhar a aldeia nas comemorações. E de participar na escrita de novas aventuras.

UM ANIVERSÁRIO É PARA FESTEJAR, POR TUTATIS!






CINEMA: ASTÉRIX E O SEGREDO DA POÇÃO MÁGICA
estreia em portugal: 10 de Janeiro
A Gália não é apanágio apenas da banda desenhada! A 7ª arte contribuiu também largamente para dar a conhecer as personagens imaginadas por René Goscinny e Albert Uderzo, nomeadamente através de 4 filmes em imagem real e 10 filmes de animação, entre os quais se conta Astérix e o Segredo da Poção Mágica, o último filme até à data, realizado por Alexandre Astier e Louis Clichy. Em 10 de janeiro, este filme animado chegará FINALMENTE às salas de cinema de norte a sul do país! 






Preparem os caldeirões!




ASTÉRIX EM AUDIOLIVRO!
LANÇAMENTO em França: 16 DE JANEIRO
Por ocasião do 60.º aniversário do mais famoso de todos os Gauleses, descubra pela primeira vez nas Edições Audiolib as duas primeiras aventuras de Astérix numa criação sonora excecional e irresistível, fiel aos álbuns originais! As versões francesas de Astérix o Gaulês e A Foice de Ouro num formato áudio inédito, com música, efeitos sonoros e a totalidade das falas originais, interpretadas por um elenco de exceção que inclui Dominique Pinon, Jean-Claude Donda, Guillaume Briat, Bernard Alane e Emmanuel Curtil, entre outros. Uma nova forma de dar vida às personagens criadas por René Goscinny e Albert Uderzo, e de redescobrir ou dar a descobrir as suas duas primeiras obras!












EDIÇÃO DE LUXO
A 23 de Janeiro, os leitores poderão descobrir pela primeira vez nesta edição de luxo o conjunto integral das 44 pranchas originais a preto e branco, passadas a tinta por Albert Uderzo, acompanhadas por um dossiê exclusivo de 32 páginas sobre os bastidores da criação do álbum. Indispensável para todos os fãs da personagem!
• Álbum em grande formato a cores
• Lombada em tecido, com cabeceado
• 128 páginas
• 2 tipos de papel diferentes: papel couché para as pranchas a cores; papel offset para as pranchas originais
39€ / 5000 exemplares (em França)











O COMBATE DOS CHEFES: MAIS UM ASSALTO!
LANÇAMENTO em França: 29 DE MAIO
Com a publicação da Edição de Luxo de O Combate dos Chefes, 10.º volume desta colecção topo de gama, (re)descubra uma das primeiras aventuras de Astérix. Com um legionário voador, sessões de psicanálise druídica e um campeonato oficioso de lançamento de menires, em O Combate dos Chefes a aldeia gaulesa faz verdadeiramente jus ao seu epíteto de “aldeia dos loucos”!
EDIÇÃO DE LUXO
• Álbum em grande formato a cores
• 128 páginas, 44 pranchas originais a preto e branco
• Dossiê de 32 páginas sobre os bastidores da criação do álbum
39€ / 4000 exemplares (em França)










ART BOOK
Uma edição como nunca se viu, digna da Biblioteca de Alexandria!
Numa sumptuosa caixa de tecido com 290 x 370 mm, os leitores poderão descobrir pela primeira vez:
• Dois livros lado a lado com, à esquerda, o argumento integral (sinopse e distribuição das falas) dactilografado por René Goscinny e, à direita, as 44 pranchas originais desenhadas e passadas a tinta por Albert Uderzo, tudo em papel Munken 150g. Uma oportunidade única para ir ao âmago da criação da BD mais famosa do mundo e para melhor compreender a alquimia que existe entre os dois autores!
• cinco ex-líbris: as primeiras notas manuscritas de René Goscinny que constituem a certidão de nascimento de Astérix (2 ex-líbris); os primeiros esboços de Astérix e Obélix pela mão de Albert Uderzo (2 ex-líbris); a prancha só com as cores da primeira página de Astérix o Gaulês, publicada na revista Pilote em 29 de outubro de 1959 (1 ex-líbris).
200€ / Edição limitada a 800 exemplares numerados (em França)








TRIBUTO A ASTÉRIX: 60 AUTORES TIRAM-LHE O RETRATO
LANÇAMENTO em França: SETEMBRO
60 anos, 60 desenhadores, 60 tributos… Um livro de sonho para qualquer fã incondicional do universo dos irredutíveis Gauleses. Os maiores nomes da banda desenhada francesa e internacional tomaram a palavra para propor as suas versões das personagens de culto imaginadas por René Goscinny e Albert Uderzo:
Didier Conrad, Blutch, Midam, Catherine Meurisse, Arthur de Pins, Guy Delisle, Alary e muitos outros…



E no fim do ano uma surpresa:
PARA FESTEJAR… COM O MAIS BELO DOS PRESENTES: UM NOVO ÁLBUM!


LANÇAMENTO DO ÁLBUM Nº 38
24 de OUTUBRO de 2019






Boas leituras









Deixa o teu comentário