quinta-feira, 16 de fevereiro de 2017

Carlos Alberto dos Santos (1933 - 2016)



A abertura deste ano do Leituras de BD vai ser em modo de homenagem.
Carlos Alberto dos Santos foi um homem que aprendi a respeitar muito. Gostaria de ter estado mais vezes com ele, infelizmente foram poucas as vezes, mas ficou-me na memória o seu estúdio de pintura repleto de grandes pinturas, elmos e gládios romanos, falcatas lusitanas e muitos outros artigos históricos. Era um estúdio que cheirava a História, ou não fosse esse um dos temas preferidos deste pintor.
Neste post vou recuperar parte de um texto que já tinha escrito sobre ele.

Carlos Alberto nasceu em 1933 e começou a trabalhar em ilustração por volta de 1947. Em 1970 realizou a sua primeira exposição, com trabalhos a óleo em que os motivos históricos eram o centro dos seus trabalhos. Infelizmente quase nenhum dos seus trabalhos se encontra em Portugal, sendo a maior parte possuída por colecionadores particulares estrangeiros, tanto europeus como norte-americanos.
Para além da pintura fez Banda Desenhada e ilustrou algumas coleções de cromos!

Uma parceria importante aconteceu em Agosto de 1949, quando aos 16 anos publicou a sua primeira história em BD (História Maravilhosa de João dos Mares), no primeiro número da mítica revista portuguesa Mundo Aventuras, o que é um marco pois também foi a primeira publicação da editora Agência Portuguesa de Revistas (APR).

Trabalhou também com outras editoras da época como a Camarada e com a Editorial Dois Continentes, mas foi com a APR que teve uma ligação mais estreita. Quase todas as publicações desta revista contiveram capas, ilustrações ou bandas desenhadas deste artista.

Ainda para o Mundo de Aventuras, criou uma biografia ilustrada chamada "Camões, Sua Vida Aventurosa", publicada em 1972 no último volume da série Álbum Especial, e esta história também existe em BD!
Os seus últimos trabalhos importantes de BD e ilustração foram feitos para a Editora ASA
Mas foi na Portugal Press de, e com, Roussado Pinto (Ross Pynn) que criou um dos ícones portugueses dos anos 70: Zakarella!

A revista Zakarella assentava nas histórias de duas míticas publicações norte-americanas, a Eerie e a Creepy. As histórias em Banda Desenhada destas duas revistas, servidas por excelentes autores, povoavam o interior da revista Zakarella. Mas quem dava o nome a esta revista mítica portuguesa era mesmo a heroína criada por Carlos Alberto dos Santos com histórias ilustradas em que Ross Pynn (Roussado Pinto) fazia a parte dos textos.

Carlos Alberto dos Santos, em conversa comigo, disse que o esquema criativo era um pouco ao contrário do normal… ele, Carlos Alberto, fazia uma ilustração da Zakarella e Roussado Pinto fazia a história com base nessas mesmas ilustrações. Carlos Alberto disse que essas ilustrações eram, à data, o “libertar dos seus demónios interiores” e que hoje seria incapaz de reproduzir algo da Zakarella.




Este grande artistas, infelizmente, começou a sofrer muito da vista obrigando-o a abandonar trabalhos mais minuciosos, como por exemplo BD e pequena ilustração, sendo a pintura em grandes telas o escape para a sua irremediável falta de vista.
Mas continuou sempre ligado à arte, nunca desistindo de pintar sobre encomenda, os seus trabalhos são muitos, e superiormente admirados por todo o mundo… infelizmente em Portugal é quase um desconhecido!
Uma nota sobre como a vida dá voltas… nunca eu pensei com 8 anos de idade ao fazer a colecção de cromos “Camões” (124 guaches) que passados 40 anos iria escrever sobre este artista!

Exposições importantes de Carlos Alberto dos Santos:

  • National Society for Fine Arts, Lisbon, 1970, 1972, 1974, 1976
  • Faculty Club of the MIT, Boston, 1984
  • Casa da Saudade Library, New Bedford, 1986
  • Cambridge Public Library, Cambridge (USA), 1986











É meu credo que o Homem vive para além da morte. Vive na memória dos outros homens, e vive mais tempo quanto maior for excelência da marca que deixou em vida. Carlos Alberto continua a viver através da sua arte. Faleceu em Novembro do ano passado, mas vai ficar na minha memória enquanto eu for vivo.

Um outro post que fiz sobre uma bela obra deste autor está neste link:

Camões: Sua Vida Aventurosa









Boas leituras



Deixa o teu comentário

Enviar um comentário