terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Asteroid Fighters Vol.1: O Início


Asteroid Fighters é mais uma aposta da ASA na Banda Desenhada portuguesa! Foi lançado durante o 20º Amadora BD (FIBDA), aproveitando o momento em que o autor, Rui Lacas, era também homenageado com uma exposição durante o evento (isto para além de toda a decoração e “mascotes” do Amadora BD ser da autoria deste português). Isto deveu-se ao prémio que Rui Lacas recebeu no 19º FIBDA com o álbum “Obrigado Patrão”, e aproveitando esta onda, Rui Lacas e a ASA lançam um projecto ambicioso chamado “Asteroid Fighters”, o qual deverá ter vários volumes publicados no futuro.
Rui Lacas estudou Belas-Artes em Lisboa, lançando-se de seguida como artista “freelancer”. Editou, desde 1994, cinco livros: Maldita Cocaína, A Cauda do Tigre (1998), A Filha do Caranguejo (2001), Que é Feito do Meu Natal? (2002) e Obrigada, Patrão (2007). Este último foi primeiramente editado no mercado francês com o título “Merci Patron” e ganhou o prémio do melhor argumento no festival de “Les Moulins” em 2007. Neste momento Rui Lacas trabalha no “The Lisbon Studio” em conjunto com outros autores portugueses de Banda Desenhada.
O projecto Asteroid Fighters (assim como outras recentes obras) insere-se numa tentativa forte de cativar o público mais jovem para a banda desenhada portuguesa, mostrando que esta também pode ser apelativa, apostando em temas que à partida serão mais bem aceites pelo mercado e respectivos compradores de BD, quiçá conquistando ainda alguns novos leitores e mostrando que os portugueses também sabem fazer BD vendável.
Asteroid Fighters tem uma estória de fácil leitura, e onde neste 1º volume são apresentados os protagonistas, centrando-se temporalmente no futuro da Terra (ano de 2112). A história passada da Terra (o nosso actual presente), e o que deu origem a um novo estádio político-social desta, é contada pelo Asteroid Fighter Sérgio. Conta como em 2012 o gigantesco asteróide destruiu grande parte da Terra, tal como a conhecemos agora, e fez mudar as prioridades da raça humana. Toda a belicosidade do ser humano foi orientada para o espaço, deixando uma abertura para a paz mundial. Conta também a história do corpo dos AF (Asteroid Fighters) e de como evoluíram num século de existência, tornando-se praticamente aquilo que conhecemos como “super-hérois”. O estória propriamente dita começa em Tóquio onde um Takeshi cheio de problemas na vida (despedido e enganado pela mulher) destrói um asteróide, que passou pelas malhas de segurança da Terra, com o objectivo de salvar a sua filha… a sua única âncora num mundo que desabou sobre ele. As curiosidades deste quase catastrófico evento são precisamente a facilidade com que este asteróide passou, e de como um humano que não é um AF o conseguiu destruir! Nesta estória não gostei muito do vilão (é um bocado estranho este vilão), sinceramente não gostei do trio de AF´s que vai tentar bloquear um asteróide, achei-os um pouco rebuscados, sobretudo o Russo! Não faz sentido em 2112 usar uma capa vermelha com a foice e o martelo…
Em relação à arte apresentada gostei, embora se note nalgumas páginas que Lacas está ansioso para as despachar (os desenhos terminam num traço “apressado”), e é minha opinião de que o traço não precisava de ser tão grosso, mas isso é uma questão de gosto meu.
No fim, e juntando tudo, é mais um bom álbum de BD feita por portugueses mostrando que o chamado “mainstream” também é possível para os nossos autores! Espero que estes exemplos (estou a pensar em BRK) motivem novos talentos a fazer BD e a tentar publicá-la! É possível (com trabalho e disciplina)!
Boas leituras!

Hardcover
Criado por: Rui Lacas
Editado em 2009 pela ASA
Nota : 7,5 em 10
Deixa o teu comentário

Enviar um comentário