domingo, 15 de maio de 2011

Pluto プルートウ

Decididamente foi a série Manga que mais gostei de ler até hoje. Guardei-me até receber o oitavo volume, para poder ler tudo seguido, e a espera valeu a pena!
Baseada na estória “O Melhor Robô da Terra” da série Astro Boy de Osamu Tezuka (手塚 治虫), mas agora com a interpretação de Naoki Urasawa, supervisionada pelo filho de Osamu Tezuka e com a ajuda de Takashi Nagasaki.
De uma maneira simplista esta é a versão dessa estória de Astro Boy mas para adultos.
Todas as personagens de “O Melhor Robô da Terra” estão aqui representadas mas muito mais densas e bem tratadas psicologicamente, assim como o tema base e as suas implicações filosóficas. Outra grande diferença está na personagem principal, deixou de ser Atom (Astro Boy) para ser outro robô: Gesicht.
Este robô é um dos sete mais poderosos, tendo um aspecto perfeitamente humano. É um robô de investigação alemão pertencente à Europol! É ele que nos faz seguir ao longo de toda estória, mesmo depois de … (spoiler alert!)… pois…, é difícil escrever sem fazer descobrir alguns dos pontos de grande interesse da trama! Assim, e numa primeira análise, o tema roda à volta de uma investigação policial em que vários robôs e humanos ligados a causas relacionadas com robôs, são destruídos. E é Gesicht o responsável por toda a investigação, e é durante esta investigação que se vão tocando temas sensíveis como a guerra e o racismo. Isto para além de uma extrapolação de como uma sociedade que usa os robôs indiscriminadamente para todas as tarefas, desde mulher-a-dias até à guerra, convive com robôs cada vez mais difíceis de distinguir do humano normal. Mas não só isso… os robôs cada vez mais avançados e parecidos com os humanos têm a outra contra-parte, robôs de tarefas especificas, menos avançados e nada parecidos com a forma humana. Existem leis que impedem na programação de um robô, o ataque a um ser humano. E porque não haver leis que impeçam os robôs de se atacarem uns aos outros a mando do ser humano, ou leis que impeçam os humanos de destruírem um robô? Ou entre humanos? Como os robôs mais avançados lidam com estas situações? Sim, porque cada vez mais evoluídos e por tentarem imitar os humanos nos seus hábitos diários começam a desenvolver eles próprios emoções proibidas como o amor e o ódio! Pluto não é apenas um romance gráfico de investigação policial situado no género ficção científica! Lida com muitas emoções proibidas, jogos de poder, vingança, amor… e por vezes é de uma profunda tristeza.
O início do primeiro livro, desta série de oito, inicia-se praticamente com a “assassinato” de um dos mais amados e poderosos robôs da Terra, o robô suíço Mont Blanc. Gesicht é chamado a investigar, mas ao mesmo tempo também humanos são assassinados e o ponto comum são as suas ligações aos mais poderosos robôs… existe outro ponto comum, quase todos eles estiveram na 39th Middle East War na Persia. Sim, Urasawa coloca bem o cenário… temos a Europa, Persia, Japão e os United States of Thracia (EUA). É claro que o cenário de guerra foi no Extremo Oriente, temos os terroristas na pele de Dr. Abullah e do seu super robô Pluto, e temos um presidente dos Estados Unidos, um fantoche nas mãos de um cérebro virtual criado pelos próprios United States, que não tinham aparentemente nenhum super robô…
Não vou falar mais deste Pluto, leiam-no, não apenas superficialmente, mas tudo o que está subjacente ou “debaixo” da escrita de Urasawa e Takashi Nagasaki.
A arte é muito boa, não tem pontos fracos. É mesmo muito boa, e isso torna esta obra perfeita! Para fazer uma analogia, pode-se talvez comparar a importância desta obra, como o “Watchmen” do género Manga, mas desculpem-me os fãs dos comics Norte-Americanos, acho “Pluto” muito superior a “Watchmen", tanto graficamente, como nos textos que lhe dão vida. O último volume (oitavo) é simplesmente excelente, sem falhas no final! Ata todas as pontas soltas sem pressas ou golpes de magia… muito bom!
Aconselho vivamente, foi uma das melhores séries que li ultimamente (de longe).

Boas Leituras

Tankobon
Criado por: Naoki Urasawa 浦沢 直樹, Osamu Tezuka 手塚 治虫 e Takashi Nagasaki
Editado entre 2003 e 2009 pela Viz Media
Nota: 12 em 10
Deixa o teu comentário

20 comentários:

  1. Parece-me interessante. Entrei no mundo manga há relativamente pouco tempo através do Biomega, Gantz, Dragon Ball e Hellsing, mas falta qualquer coisa... Ainda muito ligado à BD franco-belga!

    ResponderEliminar
  2. diogosr1
    É muito interessante, mas tens de te abstrair da construção gráfica de um livro de BD europeia ou americana. Pluto é muito bom!
    ;)

    ResponderEliminar
  3. admiro a tua paciência.
    os dois últimos ainda os li. mas discordo contigo quando dizes que "Pluto é muito bom!" eu diria Pluto é mesmo, mas mesmo, realmente MUITO BOM!

    ResponderEliminar
  4. Paulo
    Ainda bem que discordas!
    :D
    Mas querias dizer "...os dois últimos ainda os li...", ou "...os dois últimos não os ainda os li..." ?
    ;)

    ResponderEliminar
  5. Do melhor que li de BD japonesa. Excepcional

    ResponderEliminar
  6. Loot
    Sim, foi uma obra que me impressionou por ser "flawless"! O que diga-se de passagem é muito difícil... em 8 volumes não haver pequenas incoerências! Não as descobri...
    :)

    ResponderEliminar
  7. Ok, vou ter que ler o Pluto.

    Eu ainda me vou tornar numa croma. snif snif

    enxofre

    ResponderEliminar
  8. Diabba
    Já pessoal tornar-se "cromo" por muito menos do que aquilo que andas a ler ou fazer na BD...
    :P
    :*

    ResponderEliminar
  9. "Errata" nos comments...
    Paulo Brito
    Onde se lê no meu comentário resposta "...os dois últimos não os ainda os li..." ?, deverá ler-se "...os dois últimos ainda não os li..." ?

    Diabba
    Onde se lê no meu comentário resposta "Já pessoal tornar-se "cromo" por..." deverá ler-se "Já vi pessoal tornar-se "cromo" por..."

    :S (sorry)

    ResponderEliminar
  10. obrigado pela errata. mesmo eu não sou tão obtuso a ler os dois últimos e deixar os outros para trás.

    ResponderEliminar
  11. Paulo
    Eu não te chamei obtuso! Assim como te enganaste a escrever, eu enganei-me logo a seguir na resposta...
    :D

    ResponderEliminar
  12. lol
    eu sei que não me chamas-te obtuso, mas é uma palavra que gosto de usar assim que me é dada a oportunidade. uma das minhas frases preferidas extraída do Achille Talon é "espirrar asneiras pelo nariz"... Um professor meu (Canotilho) dizia uma linda "esta sua retórica argumentativa" que fica bem para se dar um ar de intelectual.

    ResponderEliminar
  13. E o Pluto é filho da ...

    Viva! estás bom? onde sugeres adquirir os volumes e por qual editora?

    Obrigado.

    -Bladder do Central Comics

    ResponderEliminar
  14. @anónimo bookdepository

    ResponderEliminar
  15. Paulo Brito
    Espirrar asneiras pelo nariz é bom...
    :P

    Bladder
    Ou encomendas por uma loja da especialidade (Lobo Mau, Kingpin, BDMania, etc.) ou optas por uma loja virtual. Neste caso aconselho a Book Depository.
    ;)

    ResponderEliminar
  16. Heys! Não tenho por hábito comentar, apesar de seguir com interesse os posts neste blog. Mas tenho que te dizer que se gostaste do 'Pluto' (e é realmente brutal), recomendo a leitura do 'Monster' (também do Naoki Urasawa e lançado pela mesma Viz). São 18 volumes, mas não consegues parar de ler! Cumprimentos.

    ResponderEliminar
  17. Finalmente acabaste.

    Eu sabia que ias adorar.

    Sim, sim...Naoki Urasawa, esse sacripanta! É à conta deste tipo que agora gasto mais do que devia em Manga. Claro que é muito difícil encontrar um escriba com tamanho talento no resto dos mangakas que por aí pululam. Porquê "Pluto"? Para isso deverão ler "Pluto" de Aristófanes. Vá...toca a ganhar mais cultura...sem medos. Está lá tudo.

    Este velho preceito, clássico na filosofia e sociologia, está bem espelhado na obra maior de Tesuka, e Naoki Urasawa bem que viu, sem medos não se inibiu de a referenciar devidamente, como é costumeiro nas suas obras repletas de referências. Como se vê aqui e em Astro Boy, com especial reverência para Astro Boy, por ser dirigida aos muito jovens, existe uma total entrega ao Ocidente e sua cultura clássica, filosófica. Na vertente da ficção-cientifica, também a referencia maior a um dos mestres no género: Isaac Asimov.

    Aliado a um desenho "sério" (não erradamente associado ao estilo Franco-Belga, mas com grande e velha escola - quase esquecida - japonesa) resultou em uma das melhores obras de literatura ilustrada dos últimos tempos.

    A mestria de Tesuka em facilitar aos mais novos certas questões filosóficas sempre contemporâneas é igualada pela de Urasawa em disponibilizá-la noutro registo, mais adulto, talvez, mas em especial à velha geração que lia Atom e a quem possa ter escapado a parábola com intervenientes personificados que dão o devido ou necessário afastamento e que, no entanto, aproxima o leitor aos sentimentos explorados.

    É um espectáculo!

    ResponderEliminar
  18. Yggdrasil
    Bem vindo aqui aos comments! Comenta sempre que queiras! Gosto de ouvir a opinião do pessoal e as suas dúvidas, se as houver!
    Já ouvi falar muito bem de Monster, mas um tipo não pode comprar tudo! Por razões de carteira e de espaço!:
    :D

    Refem
    Não, não me convences a ler o Pluto do Aristófanes...
    LOL
    A razão deste Pluto só ter saído agora foi por eu achar que o Astro Boy Vol.3 devia ser referenciado primeiro! Sem esse Astro Boy não haveria Pluto!
    Bem hajam Tezuka e Urasawa! Criaram uma das melhores estórias de BD que eu me lembro de ter lido!
    :)

    ResponderEliminar
  19. Sem Pluto (Aristófanes) não haveria Astro Boy Vol 3.

    ResponderEliminar
  20. Refem
    E eu acredito em ti...
    :D
    Mas não vou andar à procura do Pluto do Aristófanes!
    Ainda por cima não deve ter "bonecos"...
    :D
    Tou a brincar...

    ResponderEliminar

Bongadas