quinta-feira, 23 de janeiro de 2014

Prémios Profissionais de BD 2014 (PPBD): Lista de Jurados, Lista de Livros e Regulamento


Vou anunciar a constituição do Grande Júri dos PPBD 2014, apresentar a lista de livros elegível para os prémios e no final o regulamento.

De notar que o júri deste ano apenas apresenta nove repetições em relação ao ano passado.

Grande Júri (PPBD 2014)

1. André Azevedo, divulgador
2. André Lima Araújo, desenhador de BD
3. Carlos Pedro, designer e ilustrador
4. Fernando Dordio, argumentista de BD
5. Filipe Bravo, jornalista e coleccionador
6. Filipe Homem Fonseca, guionista
7. Frederico Duarte Carvalho, jornalista
8. Ivo Assis Rodrigues, divulgador
9. João Mascarenhas, autor de BD
10. João Miguel Lameiras, crítico e livreiro de BD
11. João Sequeira, ilustrador e artista de BD
12. José Eduardo Ferreira, coleccionador e membro do CNBDI
13. Pedro Bouça, crítico e tradutor
14. Pedro Brito, autor de BD e ilustrador
15. Pedro Grilo, divulgador
16. Pedro Mota, crítico e divulgador
17. Pedro Moura, crítico e docente de BD
18. Miguel Mendonça, desenhador de BD
19. Nuno Duarte, argumentista de BD e guionista
20. Nuno Neves, divulgador
21. Nuno Santos, jornalista
22. Sandra Adónis, jornalista
23. Sara Figueiredo Costa, crítica e jornalista
24. Tiago Cardoso Pinto, jornalista
25. Tiago da Bernarda, jornalista


Lista de Livros

ÁLBUNS DE BD (a concurso nas categorias Álbum do Ano,Argumentista do Ano, Desenhador do Ano, Colorista do Ano, Legendador do Ano e Designer de Publicação do Ano)


Gailivro
Zé Leitão e Maria Cavalinho: O Regresso ao Castelo Violeta – Pedro Leitão

Chiado
Dead Combo – Tó Trips e Pedro Gonçalves

Insonia
No Presépio – José Pinto Carneiro e Álvaro
Balcão Trauma – Álvaro

ASA
Mahou vol.2: Perdidos no Tempo – Ana Vidazinha e Hugo Teixeira
Enorme, Brutal, Colossal 2012 – Henrique Monteiro

Chili Com Carne
Kassumai – David Campos
Desenhador Defunto – Francisco Sousa Lobo

Tinta da China
As Fantásticas Aventuras de Dog Mendonça e Pizzaboy III: Requiem – Filipe Melo e Juan Cavia

Kingpin

Super Pig: Roleta Nipónica – Mário Freitas e Osvaldo Medina
Palmas para o Esquílo – David Soares e Pedro Serpa
Super Pig: Impaciente Inglês – Mário Freitas e André Pereira

Imprensa da Universidade de Coimbra
Uma Aventura Estaminal - João Ramalho-Santos e André Caetano

OUTRAS PUBLICAÇÕES (a concurso na categoria com o mesmo nome)

Edições Polvo
Comic-Transfer – Ricardo Cabral e Till Lassmann (Diário Gráfico)
Rosa Delta sem Saída – Fernando Relvas (Compilação de material clássico)

Ao Norte
Melancolia – Constança Amador (Diário Gráfico)

Chili Com Carne
O Hábito faz o Monstro – Lucas Almeida (Compilação e reedição parcial)
Mesinha de Cabeceira nº 25 (Antologia)
Loverboy na Feira das Vanessas – Marte, João Fazenda e Jorge Coelho (Compilação e reedição)

Bertrand
Isto é um Assalto – Mariana Mortágua, Francisco Louça e Nuno Saraiva (Publicação mista)

Associação Tentáculo
Zona Nippon 2 (Antologia)
Zona Gráfica 3 (Antologia)

Mundo Fantasma
Diário Rasgado: Anos Dourados – Marco Mendes (Diário Gráfico)
Crónicas de Arquitectura – Pedro Burgos (28 páginas)

Objectiva
A Criada Malcriada – Autor anónimo (Nacionalidade e residência desconhecidas)

Quarto de Jade
Os labirintos da Água – Dinis Conefrey (Reedição parcial)

Pedranocharco
BD Jornal #30 (Magazine)

Verbos & Letras
Escudos da Lusitânia - Grupo Entropia (Antologia)

Ave Rara
Living Will - André Oliveira e Joana Afonso (16 páginas)

Calçada das Letras
Bestof: Tirado das Prateleiras – Geral e Derradé

Escorpião Azul
Segunda Oportunidade – Geral e Derradé

Kingpin
Vamos Aprender – Aida Teixeira e Carlos Rocha

Âncora
João de Deus – José Ruy




PRÉMIOS PROFISSIONAIS DE BANDA DESENHADA 2014
REGULAMENTO

GRANDE JÚRI

O Grande Júri será composto por 25 personalidades, doravante designadas como “jurados”. Essas personalidades serão convidadas anualmente pela organização dos PPBD, podendo ocorrer a possibilidade dos jurados serem convidados mais do que uma vez, mesmo em anos consecutivos.

A organização dos PPBD fornecerá uma listagem, tão abrangente quanto possível, das obras passíveis de nomeação, mas os jurados poderão nomear alguma obra que eventualmente não conste dessa listagem, desde que tal obra cumpra os restantes requisitos constantes do presente regulamento.

A organização solicitará às editoras versão em pdf, ou outro formato compatível, dos álbuns passíveis de nomeação, para disponibilização gratuita aos jurados, ficando estes porém impedidos de divulgarem ou fornecerem, publicamente ou a terceiros, essa versão.


FASE DE NOMEAÇÃO

Na fase de nomeação, a decorrer até ao dia 15 de Março de 2014, cada jurado fica incumbido de escolher um mínimo de três e um máximo de quatro obras ou autores para cada categoria a concurso, por ordem alfabética e sem ordem de preferência. Esta nomeação será feita de forma electrónica, por e-mail, para o endereço ppbandadesenhada@gmail.com.

Serão passíveis de nomeação todas as primeiras edições em álbum editadas em Portugal durante o ano civil anterior, desde que possuam ISBN e Depósito Legal e que incluam um minimo de 32 páginas de conteúdo de BD originais ou publicadas parcialmente nos 5 anos civis imediatamente anteriores. Pelo menos um dos autores deverá ter nacionalidade portuguesa ou ser residente em Portugal e só estes poderão ser nomeados a título pessoal nas diferentes categorias. A organização reserva-se o direito de não aceitar a concurso obras que considere não serem Banda Desenhada, mesmo que publicadas por editoras ou da autoria de artistas normalmente conotados com BD. Para clarificar, isto significa que um autor que participe numa antologia ou outra publicação, e cuja história não antija as referidas 32 páginas ou não seja considerada pela organização como BD, não poderá ser nomeado individualmente nas diferentes categorias.

As categorias a concurso nos PPBD são as seguintes: Álbum do Ano, Argumentista do Ano, Desenhador do Ano, Colorista do Ano, Legendador do Ano, Designer de Publicação do Ano, e Outras Publicações, que substitui a categoria Antologia do Ano. Foi suprimida este ano a categoria WebComic do Ano. A categoria Outras Publicações visa englobar todas as publicações que não se enquadrem nos parâmetros definidos pela organização como “álbum de BD”, podendo assim abarcar antologias, reedições clássicas, livros de ilustração de autores de BD, diários gráficos ou publicações cujo número de páginas não atinja o limite mínimo definido (32), desde que se mantenha o critério quanto à existência de ISBN, Depósito Legal e nacionalidade dos autores.

No caso de autores com mais de um álbum publicado no período a que correspondem os prémios, os jurados deverão indicar à frente do nome desse autor qual o livro ou livros pelo qual ele está a ser nomeado; Exemplo: Desenhador do Ano – Artista X (Livro Y, Livro Z).

As quatro obras ou autores mais mencionados pelos jurados, em cada categoria, ficam nomeados para os PPBD, em cada uma dessas categorias. As nomeações serão anunciadas publicamente no dia 12 de Abril, durante o Festival AniComics Lisboa 2014.


FASE DE ATRIBUIÇÃO

Na fase de atribuição, a decorrer até ao dia 15 de Maio de 2014, cada jurado fica incumbido de seleccionar uma obra ou autor em cada categoria, entre os nomeados apurados na fase anterior. Esta votação será feita de forma electrónica, por e-mail, para o endereço ppbandadesenhada@gmail.com. Se assim o desejar, o jurado poderá optar por não votar em todas as categorias a concurso.

Os jurados ficam impedidos de nomear ou votar em obras por si editadas ou em obras em que participem como autores (na qualidade de argumentista, desenhador, colorista, legendador ou designer).

Em caso de empate entre obras ou autores nomeados, os jurados poderão ser chamados novamente a votar, desta feita escolhendo apenas entre as obras ou autores empatados. Em alternativa, e se assim achar conveniente, a organização dos Prémios poderá ela própria proceder a esse desempate, por deliberação conjunta dos seus membros. Se uma das obras sujeita a esta deliberação pela organização for editada ou criada, total ou parcialmente, por algum dos seus membros, este retirar-se-á da deliberação em causa.

A premiação em cada duas das seguintes categorias - Designer de Publicação do Ano, Legendador do Ano, Colorista do Ano, Desenhador do Ano ou Argumentista do ano - representará um voto extra para o livro em questão na categoria Álbum do Ano. Caso algum autor esteja nomeado por mais do que um álbum nalguma dessas categorias, esse voto extra irá dividir-se.

A decisão do Grande Júri, depois de reiterada pela organização, é soberana, não havendo recurso possível.

ENTREGA DOS PRÉMIOS

A entrega dos Prémios será feita em dia ainda a definir, perto do final de Maio, em cerimónia protocolar a realizar no Auditório da Torre do Tombo, em Lisboa.

O anúncio dos vencedores em cada categoria será mantido secreto até ao decorrer da cerimónia, sendo apenas, até esse momento, do conhecimento da organização.

Boas leituras
Deixa o teu comentário

14 comentários:

  1. Frederico Duarte Carvalho no juri? A sério?

    ResponderEliminar
  2. Paulo Costa
    Se o nome está na lista de jurados... é porque é a sério!
    :)

    ResponderEliminar
  3. Têm aí "álbuns" que não têm 32 páginas. Como é que é?

    ResponderEliminar
  4. João
    Por favor, concretize. Pode identificar os livros com menos de 32 páginas?
    :)

    ResponderEliminar
  5. Estão assinalados na lista: o living will e o crónicas de arquitectura.

    ResponderEliminar
  6. Estão incluídos na 2ª listagem

    "OUTRAS PUBLICAÇÕES (a concurso na categoria com o mesmo nome)"

    e não na de "ÁLBUNS".

    ResponderEliminar
  7. Ok, acho que já percebi. Parece-me limitativo exigir que as publicações tenham ISBN e depósito legal. Pelo menos o ISBN obtém-se mandando apenas um mail, e é uma formalidade sem grande interesse para pequenas publicações. Percebo que são prêmios profissionais, mas julgo que a tiragem pode ser melhor critério.

    ResponderEliminar
  8. João
    Visto que a dúvida foi clarificada, posso passar à tua sugestão. Acharia muito mais limitativa uma limitação ao nível da tiragem do aquela que fazemos com o ISBN e Dep. Legal.
    Não te esqueças que o nosso mercado é muito pequeno e as tiragens são de acordo com aquilo que se vende. Mesmo títulos de autores estrangeiros famosos têm neste momento tiragens ridículas, por isso não fomos por aí!
    ;)

    ResponderEliminar
  9. Como referi, o ISBN e o depósito legal são só formalidades. Já a tiragem, por muito ridícula que a possas considerar em alguns casos, só a partir das 100-200 é que se torna um pouco profissional (em termos simples, já exige capital). De resto, ao reler o texto, penso na reorganização das categorias. Acabar com o prémio para webcomics parece uma decisão feliz, mas não consigo explicar a manutenção destes estereótipos industriais. Não me parece fazer muito sentido ter categorias como "legendador" quando na maior parte dos casos são os próprios artistas que fazem (e bem). Não temos um sistema de produção especializado como se parece querer fomentar. Aliás, estes prémios parecem orientados para funções profissionais, e não tanto para resultados (daí fazer mais sentido 'design de publicação' e não designer, pois pode não existir designer a fazê-lo). Julgo, mas duvido que vá a tempo, que não é boa ideia estas "outras publicações", até porque algumas serão seguramente "álbuns do ano" mesmo se antologias ou diários gráficos. E porque não um prémio para editores/editoras, se se pretende dar visibilidade aos profissionais?

    ResponderEliminar
  10. Antologias e diários gráficos não poderão ser "Álbum do Ano", dentro dos actuais critérios definidos pela organização (como surge indicado, concorrem apenas pelo prémio "Outras Publicações", uma forma de distinguir outras coisas boas feitas em Portugal, mas que, segundo a organização não se inserem na tal categoria "álbum").

    Quanto às categorias técnicas, fazem, a nosso ver, todo o sentido, até porque há cada vez mais autores que percebem que a legendagem, a título de exemplo, não é o seu forte, encarregando alguém mais capaz de o fazer. Enquanto alguém que tem passado os últimos anos a estudar e a apurar a técnica, cada vez acho mais indesculpável certas legendagens amadoras que acompanham álbuns de editoras que tinham obrigação de fazer muito melhor.

    Finalmente, é evidente que nunca se chegará a um consenso quanto a um modelo de prémios; mas este é o nosso modelo, com uma visão, virtudes e defeitos, sempre moldáveis ao longo dos anos, em prol da sua progressiva melhoria e adequação à evolução do mercado.

    ResponderEliminar
  11. Quero felicitar todos organizadores e intervenientes pelo segundo ano destes galardões.
    Estive presente na cedo ano passado e, apesar de, a emu ver, ter havido a certo momento uma monopolização pela Editora da ASA, o que me desagradou enquanto espectador, o que é certo é que foi um momento que consagrou, ainda antes do FIBDA, autores como a Joana Afonso.
    Apesar da conjuntura de mercado em portugal apresentar um futuro negro, desejo francamente que estruturas como esta se mantenham, porque apenas e só com a Classe interna, poderemos internacionalizar e sermos respeitados lá fora.
    Gostava de perguntar ao Nuno Amado como poderei fazer para votar nos meus autores/obras/editores preferidos (tendo em vista que no passado foi assim).
    Um abraço e força pessoal, com fortes desejos que este ano encham a sala :)

    ResponderEliminar
  12. A
    Obrigado pela força. É sempre bom receber esse tipo de feedback, dá-nos alento para continuar.
    :)
    Quanto à votação... esta é feita por um Júri de 25 pessoas ligadas de alguma forma à Banda Desenhada portuguesa. Ou seja, o público não vota. Os prémios onde o público tem a última palavra, ou seja vota, são os Troféus Central Comics, aos quais tive ligado no passado. A estrutura destes é diferente.
    ;)

    ResponderEliminar
  13. Epá... tremenda gaffe. Exacto, por isso é que são PROFISSIONAIS, porque são votados por entendedores na matéria, aka júri de profissionais ligados ao medium BD.
    Obrigado pela adenda e força!

    ResponderEliminar
  14. A
    LOL
    Não faz mal.
    :D
    O júri é composto essencialmente por desenhadores, argumentistas, jornalistas e divulgadores.
    (Como podes ver pela lista)
    ;)

    ResponderEliminar

Bongadas