sábado, 13 de setembro de 2008

Druuna


Druuna, ícone sexual da Banda Desenhada, teve os dois primeiros números editados em português pela Meribérica. Saíram na série "Histórias Fantásticas", infelizmente ficando só por esses dois volumes mesmo... é que para além da grande arte de Serpieri, a estória não é nada má, antes pelo contrário!
Druuna alia personagens belas e voluptuosas de ambos os sexos, incluindo mutações transsexuais, a uma muito boa estória de ficção-ciêntifica/ terror. Todo o contraste entre as criaturas horrorosas, devido a uma espécie de peste chamado "O Mal" e os humanos "limpos", fazem os nossos olhos caírem sempre na beleza do corpo humano (masculino/ feminino) e acompanharem página após página o traço de Serpieri, procurando saber como acabará esta pretensa guerra entre mutações horriveis e os humanos livres d´"O Mal". Vou neste post apenas falar destes dois primeiros livros, visto que para além destes só "O Planeta Esquecido" (nº.7) foi editado em português, pela editora Norma. Para já o nome de todos os livros desta série:
- Morbus Gravis (Meribérica)
- Druuna (Meribérica)
- Creatura
- Carnivora
- Mandragora
- Aphrodisia
- O Planeta Esquecido (Norma)
- Clone

Conta-se que as modelos para as figuras femininas da série Druuna, foram as moças cariocas, que desde a juventude deste artista, sempre lhe ocuparam a cabeça. De notar que a estória está no limite do considerado erótico, para o pornográfico! Existem outros álbuns, os números "X" (X e X2), em que esse limite é completamente ultrapassado... são álbuns de ilustrações e sketch sem censuras nem limites!
Voltando aos álbuns da Meribérica, Druuna tenta encobrir o seu namorado (ele está contaminado) da polícia e prostitui-se para obter o "serum", substância que fazia retroceder as mutações das pessoas contaminadas... mas o nível de mutação do seu namorado Shastar já era tão elevado, que a regressão não era total. Numa das suas visitas ao médico que distribuía o "serum", conhece um ser híbrido: O Mutante. A partir daqui tudo quanto era certo passa a não ser, a estória tem voltas de que o leitor não está à espera, com um Shastar sempre presente, mas não visível e uma Druuna cada vez mais assustada ao perceber, na realidade, onde vivia e o porquê daquela situação! É claro que não posso contar detalhadamente a estória, senão isto "perdia a piada", mas fiquei com pena de não haver os restantes números em português. Estão editados em Inglês pela Heavy Metal, em francês pela Bagheera. On-line encontram-se em brasileiro.
Boas leituras!

Softcover (capa mole)
Criado por: Paolo Eleuteri Serpieri
Editado entre 1987 e 1988 pela Meribérica
Comprado na BD portugal
Nota : 8,5 em 10
Deixa o teu comentário

Enviar um comentário