sábado, 7 de fevereiro de 2009

Top Cow


Visto que brevemente irei fazer história/review de personagens deste universo, achei por bem fazer uma pequena introdução a este universo de personagens que ainda é pouco conhecido por cá, e isto para além do preconceito formado em relação às figuras femininas … mas já lá vamos! Começamos pelo princípio, e o princípio chama-se Image Comics.
Em 1992 oito conceituados e/ou conhecidos artistas da Marvel decidem que esta não estava a dar resposta às suas necessidades, esta saída foi chamada de X-Odus, porque quatro desses artistas trabalhavam em títulos relacionados com os X-Men. Foram eles:
Todd McFarlane (Spider-Man), Jim Lee (X-Men), Rob Liefeld (X-Force), Marc Silvestri (Wolverine), Erik Larsen (The Amazing Spider-Man), Jim Valentino (Guardians of the Galaxy), e Whilce Portacio (Uncanny X-Men).
A Image Comics foi construída por estes artistas tendo como base duas premissas:
- A Image Comics nunca possui o trabalho de nenhum artista, sendo o artista o detentor dos direitos do seu trabalho
- Não interferência por parte de nenhum parceiro desta associação, seja criativa ou financeira, no trabalho de outro artista.
Assim sendo cada um dos principais artistas criou um “estúdio” dentro da Image:
- Extreme Studios de Rob Liefield
- Top Cow de Marc Silvestri
- Wildstorm Productions de Jim Lee
- Highbrow Entertainment de Erik Larsen
- Todd McFarlane Productions de Todd McFarlane
- Shadow Line de Jim Valentino
Como séries ou trabalhos mais conhecidos editados pela Image temos:
Spawn, The Savage Dragon, Shadowhawk, Youngblood, Supreme, WildC.A.T.s, Gen¹³, Wetworks, Cyberforce, Witchblade, The Darkness, Invincible, The Walking Dead e o terceiro volume de Teenage Mutant Ninja Turtles.
A parte que interessa para este post é pertença de Marc Silvestri e o seu colorido universo: Top Cow.
Como títulos principais da Top Cow temos:
- Witchblade
- The Darkness
- Cyblade
- Cyberforce
- Ripclaw
- Tomb Raider
- Velocity
- The Magdalena
- Hunter – Killer
- The Necromancer
- Aphrodite IX
- Fathom
- Madame Mirage

Os primeiros oito títulos interagem continuamente entre si num universo presidido por uma trindade: The Darkness (caos), The Angelus (luz) e a Witchblade (ordem, equilíbrio). Os dois primeiros são completamente antagonistas e tentam ao longo dos séculos destruir o adversário, embora o portador actual da entidade The Darkness apenas quer é que o Angelus não o chateie… a Witchblade é um artefacto que contém uma entidade que nasceu da união das outras duas! O Darkness tem dois problemas graves… se for eliminado o seu portador, a entidade termina ali a sua vida e só se consegue manifestar ou defender na ausência de luz. Como segundo problema, a entidade passa automaticamente para o filho gerado pelo portador, morrendo este logo a seguir ao acto sexual! Isto é um problema dos elementos masculinos da família Estacado. O Angelus para além de poder actuar na luz, também consegue “trabalhar na escuridão durante um certo tempo e se a sua portadora perecer, o Angelus apenas se desincorpora para procurar outra portadora. A Witchblade foi gerada para manter a ordem nesta guerra…
Como novos factos neste universo, descobriu-se que existem mais dez poderes primordiais, para além destes três. Mas isso é outra estória… dois já foram descobertos: The Glaciar Stone e a Ember Stone!
Boas leituras (ainda não finalizei o Darkness Compendium… são 1280 páginas de acção e musculação...)
Deixa o teu comentário

Enviar um comentário