quarta-feira, 28 de maio de 2008

Zakarella: Homenagem


Este post apenas pretende ser uma pequena homenagem a um herói Português que deu o nome a uma revista de Banda Desenhada.
Depois de 30 anos ainda me lembro desta revista, que eu só ousava ler às escondidas pois tinha 12 anos na altura! Editada pela Portugal Press, a revista Zakarella, durou uns excelentes 28 números, apenas findando em março de 1978 porque o Banco de Portugal não autorizou o pagamento dos direitos de autor em Dólares !!!!!!
O primeiro número saiu em 1 de Março de 1976, coexistindo com outra revista do género: Vampirella. A Vampirella, também editada pela Portugal Press e da qual eu tenho os números todos, acabou em Outubro de 1977, ficando assim apenas Zakarella como revista de "terror".
Como seria lógico , a revista para além de conter alguns contos curtos e algumas rúbricas relacionadas com o género, continha sempre uma estória da autoria de Ross Pynn (pseudónimo de Roussado Pinto) e ilustrada pelo fantástico Carlos Alberto dos Santos: Zakarella !
Esta heroína extraterrestre, mas bem portuguesa, lutava contra ou favor da malandragem de Lisboa e arredores (dependia da vontade de Satã), sempre com uns trajes diminutos (por vezes nem diminutos eram) e com muitos monstros à mistura. Pode-se dizer que era uma Vampirella portuguesa, mas não acho isso correcto, pois as únicas parecenças são a falta de roupagem, e nesse campo a Zakarella ganhava (tinha menos roupa ainda), e uma extraordinária arte como podem verificar pelas ilustrações aqui presentes... para além disso, Zakarella não era Vampira...
Era "giro", quer dizer... eu achava "giro" e interessante que alguma editora deste País se lembrasse de fazer uma colectânea das estórias desta personagem, pois a revista Zakarella foi um marco da BD em Portugal e nunca nenhum editor se lembra destas coisas! Eu tenho a certeza que venderia, pois existem duas gerações que têm bem presente esta heroína sexy portuguesa, a minha geração e a dos meus pais, e sempre que por acaso se fala disto toda a gente diz:
- É pahh! A Zakarella... era tão fixe... (ao ler isto façam um ar nostálgico, para dar ambiente...)
De notar que Carlos Alberto dos Santos, nesta revista, mostrou uma faceta dele até então escondida, visto que ele era um ilustrador de motivos históricos! Zakarella foi o libertar amarras deste artista (penso eu...).
De notar que arte de Carlos Alberto dos Santos no interior desta revista é a preto e branco, apenas as capas são coloridas. A revista ao início era quinzenal, passando a mensal alguns meses depois.
Deixa o teu comentário

13 comentários:

  1. Finalmente uma critica sobre a Zakarella. ;-)

    Muito boa critica, focaste alguns temas desconhecidos para mim, é sempre bom saber mais sobre a nossa personagem de BD favorita portuguesa.

    Ainda hoje com muitos fãs por esse mundo fora, concordo que alguma editora devia fazer algo sobre uma re-edição da personagem, dar a conhecer e esta malta mais nova algo genuinamente português e afinal aquilo que se lia as escondidas no nosso tempo ( sim, eu era como tu...eheheheh), hoje em dia não se compara a certas Bds publicadas actualmente. Talvez até alguns artistas poderiam criar novas histórias em Bd baseadas nos contos do Rossado Pinto...
    Nota 10 neste Artigo! ;-)

    Abraço. :-)

    ResponderEliminar
  2. O que eu gostava desta tipa, pá! E se não me engano, havia também a Vampirella! Mas isso já poder ser remanescências da imaginação de um adolescente com borbulhas...

    ResponderEliminar
  3. Eh pah... marido... vou-te dar umas frigideiradas! Então o menino já anda a ver meninas sem roupa desde os 12? Ainda por cima esta usa uns tapa-mamilos em lata, segurava-os com cola?

    Sim, já a vejo a lutar contra o mal lisboeta naqueles trajes... boff ela era a causa dos males, tenho a certeza!

    beijo enxofrado

    ResponderEliminar
  4. Nota: o Kanito rafeiro acha que já lhe passou a cena da borbulhagem! hihihihihi

    ResponderEliminar
  5. Muita casa-de-banho comigo nesses tempos...é verdade! Não é vergonha nenhuma, para além de muito natural!

    Abraço ao Carlos por não poupar nas generosas curvas da menina!

    Quanto aos tapa-mamilos se segurarem: não era cola...era cuspo! Pelo menos eu gosto de pensar que sim!

    Se reeditaram a Wanya, podiam muito bem reeditar a Zakarella em edição luxuosa, claro!

    Quanto à Vampirella, essa já é outra história...e o melhor é ficar por aqui, pois já devo umas desculpas ao Nuno pelo baixo nível a que eu consegui trazer estes comentários. ;D

    ResponderEliminar
  6. Ainda que não conhecia a esta heroína da BD portuguesa, talvez eu seja responsável do cancelamento da revista Zakarella pois nasci em março de 1978. E também sou um apaixonado do terror.
    A revista era em preto e branco?

    ResponderEliminar
  7. OCP
    O prometido é devido, lembras-te :-)? já te tinha dito que ia fazer isto há uns tempos atrás no teu blog!

    Rafeiro
    Claro que havia a Vampirella também, faço menção a isso no post!
    Além de rafeiro tás vesgarolho!

    Diabbinha
    Desde o dia que nasci que eu vejo mulheres nuas.... ehehehhe

    Refem
    Credo! Essa série entusiasmou-te a sério !

    Ismael
    Não foste o responsável de certeza... livro-te dessa acusação! LoooL
    Era a preto e branco sim !

    ResponderEliminar
  8. é isso mesmo...desde que tenha mamas `a mostra é uma bd boa... LOL

    ResponderEliminar
  9. Precisamente! É uma daquelas BDs boas... Daquelas mesmo mesmo boas.xD

    ResponderEliminar
  10. DC e Crucios
    Era uma BD boa com boas estórias e grande arte! A heroína apenas tinha um guarda roupa reduzido!
    Só vos perdoo o comentário porque vocês não viveram o momento XD
    eheheh

    ResponderEliminar
  11. LOL, mais posts destes é que são precisos!

    ResponderEliminar
  12. Comprei ontem uma compilação de vários números da Zakarella, e além dos fantásticos desenhos do Carlos Alberto Santos, veio uma história desenhada pelo Frank Frazetta!
    :D

    ResponderEliminar
  13. boredomsketch
    Essa compilação é de quantos números?
    Já consegui arranjar as revistas todas e a minha mulher ofereceu-me nos anos uma compilação encadernada antiga dos 28 números que saíram!
    :)
    Muito fixe! Tem lá estórias dos consagrados todos da altura e traduzidos em português, para além dos excelentes desenho do Carlos Alberto! Espectaculoso!
    :D

    ResponderEliminar

Bongadas