quinta-feira, 20 de abril de 2017

Lançamento ASA: Airborne 44



No final deste mês, dia 28, a ASA vai publicar a colecção Airborne 44 na íntegra, com a distribuição do jornal Público.

Trata-se de uma série ambientada na 2ª Grande Guerra, possuidora de um desenho realista do talentoso belga Philippe Jarbinet.

Podemos contar com uma grande arte acompanhada por uma narrativa gráfica bem coerente e estruturada. Para os fãs deste tipo de BD é um indispensável must have.

Podem ver todas as capas da colecção, assim como ler a sinopse de todos os livros.
Fiquem com o press release da ASA:



O PÚBLICO e a ASA editam, já a partir de 28 de Abril, uma nova colecção de BD, sobre a Segunda Guerra Mundial - «Airborne 44».

«Airborne 44» é uma BD franco-belga, escrita e desenhada com o aconselhamento de um historiador.
São 6 volumes, inéditos em português, onde a realidade e a ficção se misturam e as armas e os sentimentos se cruzam em três ciclos: o Inverno de 1944; antes da Guerra culminar no dia D; e o fim da Guerra.

Junte-se aos Aliados e não perca cada batalha em cada volume!

Uma edição em capa dura, 56 páginas, que os leitores do jornal PÚBLICO poderão adquirir, por 8,90€+preço do jornal.
Enviamos abaixo a data de saída de cada álbum:


AUTOR
PHILIPPE JARBINET
Argumentista / Desenhador

Nascido em 1965 na Bélgica, Philippe Jarbinet publica o seu primeiro álbum em 1992 nas Éditions Blanco. Trata-se de Sandy Eastern, com argumento de Franz.
Três anos mais tarde regressa à banda desenhada, assinando o argumento e os desenhos do primeiro volume de Mémoire de Cendres, publicado nas Éditions Glénat. Desta série serão publicados dez volumes entre 1995 e 2007.

Depois de ter colaborado no policial colectivo Une Folie Très Ordinaire, imaginado por Christian Godard, escreve e desenha a partir de 2003 os três episódios de Sam Bracken, sempre nas Éditions Glénat.

Com a sua chegada à Casterman, em 2009, muda de registo e de técnica.
Os álbuns Airborne 44, com texto e desenhos de sua autoria, são realizados em cor directa. Funcionando em dípticos, trata-se de histórias de guerra baseadas em dramas humanos. O sucesso é imediato e transporta Jarbinet para o primeiro plano do panorama dos grandes autores realistas.

Rigoroso, tanto no texto como no desenho, de que assegura igualmente a cor, Philippe Jarbinet perpetua com talento a banda desenhada realista clássica, não sem lhe trazer uma nota própria de modernidade.
Paralelamente ao seu trabalho como autor, Philippe Jarbinet é professor de desenho e de banda desenhada na Academia René Defossez, em Spa, na Bélgica




Sinopses
1 – ONDE OS HOMENS CAEM
No dia 12 de Junho de 1944, quando o fumo se dissipou naquela casinha de Carentan, compreendi aquilo em que me tinha tornado, aquilo que eu era realmente: um assassino.
A 16 de Dezembro o destino deu-me a escolher entre redimir-me ou deixar-me apanhar…

2 – O AMANHÃ SERÁ SEM NÓS
Tenho dores… Tenho frio… Tenho a boca a saber a sangue… Ouço vozes em meu redor…
Ao longe…
Muito ao longe…

3 – OMAHA BEACH
6 de Junho de 1944. Alvorada. Não reconheço a praia onde outrora vivi momentos mágicos…
Fogo, barulho, fumo, morte! Estou às portas do Inferno.
Mas o pior ainda está para vir…

4 – DESTINOS CRUZADOS
Caminho numa guerra que tudo reduz a pó: os homens, as mulheres, as crianças, as paisagens…
Nada, nem ninguém, lhe escapa…
Até as minhas memórias parecem querer morrer…
Caminho numa guerra negra, mas conservo a esperança de que haja no fim…
…uma luz!

5 – SE É PRECISO SOBREVIVER
O crash bolsista de 1929 e o Dust Bowl atiraram-nos para as ruas. Tendo como única riqueza a nossa juventude, nós não éramos senão migrantes sem raízes, sem trabalho e sem futuro.
Ignorávamos que, para salvar a nossa pele, iríamos ter de a pôr em risco…

6 – O INVERNO DAS ARMAS
A guerra depositou-nos num buraco perdido, entre a neve e o frio, a dor e a morte.
A orla da floresta era uma fronteira que se abria para o desconhecido, e nós atravessávamo-la todos os dias e todas as noites.
De cada um dos lados vivia-se e morria-se no medo e na desilusão. Mas havia também, para nos manter, a amizade, o amor e a fraternidade…






Boas leituras



Deixa o teu comentário

Enviar um comentário