sexta-feira, 2 de dezembro de 2011

Druuna: Carnivora


Continuando o ciclo Druuna no Leituras de BD!
Este é o quarto volume da série, e aqui passamos dos ambientes abertos de cidades e ambientes apocalípticos para os espaços fechados de uma pequena nave. Este fechar de ambiente torna-se opressivo e claustrofóbico contrariando os registos anteriores. De notar que o detalhe deste espaço continua pormenorizado mostrando o porquê de Serpieri ser considerado um virtuoso no desenho, nas texturas e nas cores. Falando nisso, ele usa com mestria as sombras e a ausência de cores fortes para contrastar com o vermelho do omnipresente mal que ataca a humanidade.
Este “Mal” (The Evil) é uma alegoria forte a uma doença que continua a ser um pesadelo para quem a contrai. Chama-se SIDA (AIDS) e esta alegoria está bem patente nos dois primeiros livros, tanto na decadência física de quem é atacado por ela, como na reacção de repulsa e afastamento de quem está limpo… é a discriminação e segregação que surgiram logo que a doença foi conhecida no século passado. Não esquecer a década em que estes livros foram criados, a década de 80. Serpieri quis pôr a nu (neste caso não é a Druuna) esta doença proibida, e a marginalização a que os infectados eram sujeitos socialmente.
Carnivora é um livro para se ler devagar, para se perceber na sua plenitude, pois passa muitas vezes de sonhos induzidos em Druuna para novos sonhos, e daí para o presente real.
O “Mal” entrou na pequena nave do Comandante Will, assim como a mente dupla formada por Lewis e Shastar, que sendo incorpóreos "viajaram" para dentro do computador da nave.
Will e Doc induzem Druuna em sono profundo, gravando os seus sonhos na esperança de saber exactamente o que lhes estava acontecer e como combater “O Mal”! É claro… os sonhos não são cor-de-rosa, antes pelo contrário! Poderosos pesadelos atacam Druuna, mas a realidade à sua volta não é muito melhor; e quando acorda continua a viver um horrível pesadelo. “O Mal” está à sua volta!
Depois de selvaticamente atacada (sexualmente claro…) refugia-se novamente num sonho, onde a entidade Shastar/Lewis lhe explica como poderiam resolver o problema.
É Doc que acaba por pôr o louco plano em marcha, Ficção-Científica pura, resolvendo o problema para já.
Mas será que está tudo igual?
Será que os tripulantes da nave são mesmo eles? Ou serão clones criados pelo “Mal”?
O próximo volume é Mandragora, e é sem dúvida o mais poderoso ao nível sexual. Serpieri neste próximo livro leva as perversões sexuais a um novo limite!
Estejam atentos.
;)
Outras entradas deste ciclo Druuna:
Druuna
Ilustração: Druuna X2
Ilustração: Druuna
Druuna: Creatura

Boas leituras!

Hardcover
Criado por: Paolo Eleuteri Serpieri
Editado em 1993 pela Heavy Metal
Nota : 8,5 em 10
Deixa o teu comentário

Enviar um comentário